Renato Portaluppi

De Grêmiopédia, a enciclopédia do Grêmio
Ir para: navegação, pesquisa

Renato Portaluppi
Renato Portaluppi


Informações pessoais
Nome completo Renato Portaluppi
Data de nasc. 09 de setembro de 1962 (57 anos)
Local de nasc. Guaporé-RS, BRA
Nacionalidade Brasil
Informações profissionais
Clube atual Grêmio
Função Treinador
Registro CBF 83789
Destro
Como jogador do Grêmio
Jogos Gols Média
261 75 0.29
  • A estatística pode estar incompleta.
Números no Grêmio como Treinador
Jogos V   E   D Aprov
346 180 88 78 60.5%
  • A estatística pode estar incompleta.
Categorias de base
Anos Clubes
Brasil Esportivo
Brasil Grêmio
Clubes profissionais
Anos Clubes
1980-1987 Brasil Grêmio
1987-1988 Brasil Flamengo
1988-1989 Itália Roma
1989-1990 Brasil Flamengo
1991 Brasil Botafogo
1991 Brasil Grêmio (emp.)
1992 Brasil Botafogo
1992 Brasil Cruzeiro
1993 Brasil Flamengo
1994 Brasil Atlético Mineiro
1995 Brasil Grêmio (emp.)
1995-1997 Brasil Fluminense
1997-1998 Brasil Flamengo
1999 Brasil Bangu
Seleção nacional
Anos Seleção Jogos (gols)
1983-1993 Brasil Brasil    43      (5)
Equipes que treinou
Anos Clubes
2000-2001 Brasil Madureira
2002-2003 Brasil Fluminense
2003 Brasil Fluminense
2005-2007 Brasil Vasco
2007-2008 Brasil Fluminense
2008 Brasil Vasco
2009 Brasil Fluminense
2010 Brasil Bahia
2010-2011 Brasil Grêmio
2011 Brasil Athletico Paranaense
2013 Brasil Grêmio
2014 Brasil Fluminense
2016-atual Brasil Grêmio

Renato Portaluppi, também conhecido como Renato Portaluppi (Guaporé-RS, BRA, 09 de setembro de 1962).

Banco de dadosEstatística como jogador do Grêmio

GRÊMIO Jogos Vitórias Empates Derrotas Gols pró Gols contra Saldo de gols Aproveitamento
Mandante
107
71
20
16
210
71
139
72.6%
Visitante
154
74
56
24
231
122
109
60.2%
Total
261
145
76
40
441
193
248
65.3%

A estatística está em processo de contagem no Banco de Dados, e pode sofrer alterações. Quando estiver completa, esta mensagem será suprimida.

Banco de dadosEstatística como treinador do Grêmio

GRÊMIO Jogos Vitórias Empates Derrotas Gols pró Gols contra Saldo de gols Aproveitamento
Mandante
178
111
38
29
332
128
204
69.5%
Visitante
168
69
50
49
208
156
52
51%
Total
346
180
88
78
540
284
256
60.5%

A estatística está em processo de contagem no Banco de Dados, e pode sofrer alterações. Quando estiver completa, esta mensagem será suprimida.

História

Vida pessoal

Filho de Francisco Portaluppi e Maria Portallupi, Renato nasceu em Guaporé, tendo vivido dos três de infância e boa parte de sua juventude na cidade de Bento Gonçalves, no Interior do Rio Grande do Sul. Teve como primeiro emprego um trabalho na padaria do Seu Azir, onde ajudava na cozinha. Desde jovem foi conhecido por ter temperamento forte e determinação.

Foi empregado da empresa Todeschini, uma conhecida fábrica de móveis da região, de 26 de abril de 1977 a 03 de agosto de 1979, exercendo a atividade de carga dos caminhões da empresa. O serviço era de conhecimento da família, o que não se sabia é que era realizado apenas em meio turno, eis que Renato treinava escondido no time da cidade, o Esportivo.

Ainda jovem iniciou namoro com Maristela Bavaresco, com quem mantem um relacionamento por mais de 30 anos. Está casado com Maristela por quase 20 anos, sendo que alguns veículos de informação chegaram a informar o rompimento da união em 2014, que não se confirmou.[1].

Renato Portaluppi é conhecido como grande conquistador, status que ele mesmo admite, afirmando que já teria tido relacionamento "com mais de cinco mil mulheres"[2], sendo alguns de seus relacionamentos mais conhecidos os com Luma de Oliveira, Edna Velho, Cristina Mortágua, Maria Zilda e a jornalista Carla Cavalcanti, com quem teve uma filha, Carol Portaluppi[3].

Como jogador

Começo de carreira

Renato no Esportivo
Foto:Autor desconhecido

Ainda na adolescência, Renato passou a treinar futebol no Esportivo escondido da família. Trabalhava meio turno na fábrica de móveis Todeschini e o restante do tempo no futebol. Ainda no clube de Bento Gonçalves, fez parte da equipe de 1979 daquele clube, um dos principais elencos da história do time bento-gonçalvense, Campeão do Interior e vice-campeão gaúcho, perdendo o título para o Grêmio.

Apesar do grande resultado do time de Bento Gonçalves, Renato era um reserva no time comandado por outro grande nome da história do Grêmio Valdir Espinosa, então treinador da equipe da serra gaúcha. Com o tempo Renato foi conquistando espaço na equipe, jogando sua primeira partida como titular em 12 de agosto de 1979[4][5], quando ainda tinha 16 anos.

Com a transferência de Valdir Espinosa para o Grêmio, Renato foi indicado para compor as categorias de base do Grêmio, mas por pouco não ficou de fora do time pouco tempo depois conquistaria o Mundo. Isso porque o pai de Renato, colorado, foi contra a ideia de transferência do filho, mas que, após um período de relutância, acabou aceitando. Com isso Renato acabou fazendo parte da base gremista em 1980.

A ascensão do ídolo foi rápida. Já em 1981, com apenas 19 anos, foi alçado ao time principal, mas acabou não tendo um grande número de chances no time do técnico Ênio Andrade.

Grêmio

Renato contra o Grêmio em 1979
Foto:Autor desconhecido

Apesar do pouco espaço para mostrar seu futebol em 1982, Renato acabou tendo boas atuações e jogos pela equipe tricolor no seu primeiro ano de profissional. Em 1983, sob a direção do técnico Valdir Espinosa, Renato acabou buscando seu espaço, galgando posições até se tornar o grande nome do maior título da história do Grêmio.

Renato fez parte do elenco campeão da Libertadores como um dos titulares, tendo participado de jogos emblemáticos como a Batalha de La Plata, contra o Estudiantes, e a final da Copa Libertadores da América de 1983 contra os então campeões da América e do Mundo, o Peñarol, onde acabou expulso na segunda partida da final, dentro do Estádio Olímpico, vencida pelo Grêmio pelo placar de 2x1.

Sua grande atuação histórica lhe renderia um nome gravado na eternidade da história do Grêmio. Em 11 de dezembro de 1983, no Estádio Nacional de Tóquio, Renato marcaria dois gols na vitória de 2x1 sobre a equipe do Hamburgo, da Alemanha Ocidental, campeão da Liga dos Campeões da Europa em 1983, pela final do Mundial Interclubes. A autoria dos dois gols lhe rendeu a honraria de ser o melhor daquele Mundial.

Renato permaneceu no Grêmio até 1986, conquistando dois campeonatos gaúchos em 1985 e 1986, além de um vice da Copa Libertadores da América de 1984, entre outros títulos. As atuações de destaque do ídolo gremista lhe renderiam a primeira convocação para a Seleção Brasileira de Futebol e despertariam o interesse do Flamengo, onde Renato jogaria nos anos seguintes.

Flamengo e Roma

Renato comemorando gol
Foto:Autor desconhecido

Um dos principais clubes da carreira de Renato Portaluppi, o Flamengo foi a terceira equipe do jogador. Transferido para a equipe carioca em 1987, formou uma grande dupla de ataque com Bebeto. Foi o responsável pela classificação do Flamengo para a final do Módulo Verde do Campeonato Brasileiro de Futebol de 1987, ao derrotar a equipe do Atlético Mineiro. Renato foi eleito o melhor jogador do Campeonato Brasileiro de 1987, recebendo a Bola de Ouro da Revista Placar. Apesar da questão controversa, a respeito do campeonato nacional de 1987, a FIFA e a justiça brasileira em última instância não reconhecem o título nacional do Flamengo neste ano, sendo considerado o Sport como campeão.

Em 1988 Renato rumou à Itália, para jogar na equipe italiana do Roma, tendo atuação discreta nas temporadas de 1988 e 1989. Retorna ao Flamengo no ano de 1990, reconhecendo publicamente seu arrependimento de ter saído do clube alvi-negro para jogar na Europa. Pela equipe flamenguista atua ao lado de Bobô e Gaúcho, onde conquistaram a Copa do Brasil de 1990 na final contra o Goiás. A atuação de Renato pelo Flamengo lhe renderia mais uma convocação para a Seleção Brasileira em 1990.

Outros times e títulos

Renato na Seleção Brasileira
Foto:Autor desconhecido

Em 1991, Renato acaba trocando o Flamengo pelo Botafogo em uma negociação que atingiu as somas de 450 mil dólares. Na equipe alvi-negra realiza um Campeonato Brasileiro de Futebol decepcionante em 1991, onde atuou muito abaixo do que vinha apresentando até então. Ainda, em 1991, após iniciar o Campeonato Carioca, que era realizado no segundo semestre, acaba aceitando proposta de empréstimo do Grêmio pela quantia de 300 mil dólares e um salário de 35 milhões de cruzeiros por mês, para atuar durante três meses na equipe gaúcha. A segunda passagem de Renato pelo Grêmio não foi como esperado. O Grêmio não venceu o campeonato estadual daquele ano e Renato acabou jogando apenas oito jogos e marcando dois gols.

Após um empréstimo curto com o Grêmio, Renato retorna ao Botafogo, disputando em alto nível o Campeonato Brasileiro de Futebol de 1992, levando o time carioca à final contra o rival Flamengo. Após uma derrota por 3x0 contra o Flamengo, Renato foi flagrado em foto comendo churrasco com os jogadores do rival, o que gerou seu afastamento do clube, onde até hoje não é bem quisto pela torcida. O ex-jogador se declara vítima de um mal-entendido[6].

Em razão do rompimento com o Botafogo, Renato acertou com o Cruzeiro em 1992, Renato repete boas atuações, auxiliando a equipe mineira na conquista da Supercopa Sul-Americana de 1992 e do Campeonato Mineiro do mesmo ano. Pelos resultados, acabou garantindo sua terceira passagem pelo Flamengo no ano de 1993, neste ano Renato não conseguiu conquista títulos relevantes, mesmo jogando 37 jogos e marcando 21 gols pelo time rubro-negro. Em 1994 o Atlético Mineiro foi o destino do jogador, pela equipe mineira Renato teve poucas oportunidades, jogando apenas 15 jogos e não conquistando títulos.

No ano de 1995 Renato se transfere ao Fluminense, o que lhe rendeu o status de um dos poucos jogadores do país a ter atuado por três grandes do Rio de Janeiro na carreira. No mesmo ano Renato seria um dos destaques da equipe do Tricolor Carioca, colaborando para a classificação do time para o octogonal final do Campeonato Carioca onde apenas Flamengo tinha pontuação capaz de tirar o título estadual do Fluminense. Em uma partida emocionante, o Fluminense largou em vantagem, mas permitiu o empate em 2x2 após ter diversas expulsões contra si. O Resultado de empate dava o título ao rival, mas, faltando quatro minutos para o fim da partida, Renato recebe a bola de Aírton e marca um gol de barriga, até hoje considerado um dos lances mais emblemáticos da história do Fluminense.

Na equipe do Tricolor das Laranjeiras, Renato ainda colaboraria para uma boa campanha no Campeonato Brasileiro de Futebol de 1995, chegando às semifinais da competição. Na temporada de 1996 não conseguiu repetir o sucesso do ano anterior, sendo que o Fluminense acabaria rebaixado naquele ano. Em 1997 tem seu retorno ao Flamengo anunciado, em sua quarta passagem pelo rubro-negro carioca, onde se aposentou em 1998. Tentou retornar ao futebol em 1999, mas acabou encerrando a carreira em definitivo após pequena passagem pelo Bangu.

Seleção Brasileira

Pela Seleção Brasileira Renato teve diversas convocações e polêmicas. Após uma excelente temporada em 1986 pelo Grêmio, foi convocado por Telê Santana para compor o time que disputaria a Copa do Mundo de 1986, mas acabou sendo cortado do time por indisciplina. Apesar do inicio ruim, Renato ainda seria convocado diversas vezes pela Seleção, sendo campeão da Copa América no ano de 1989.

Em 1990, foi novamente convocado para a Copa do Mundo, em 1990, mas acabou sendo reserva daquele selecionado, sendo titulares Careca e Müller. Renato chegou a atuar na equipe, mas apenas em parte do jogo contra a Seleção Argentina, quando o Brasil acabou derrotado por 1x0 nas oitavas-de-final da competição.

Como treinador

Renato Portaluppi Técnico do Grêmio
Foto:Ag. Estadão

Com a aposentadoria em 1999, Renato se dedicou a carreira de treinador. Foi técnico do Madureira de 2000 até 2001, tendo apresentado um trabalho mediano. Em 2006 teve boa passagem pelo Vasco, conquistando o vice-campeonato da Copa do Brasil e o sexto lugar no Campeonato Brasileiro de Futebol de 2006, sendo eleito o Segundo Melhor Técnico do Brasil, pela CBF. O fraco desempenho no estadual de 2007 custou o cargo do treinador no Vasco, sendo posteriormente contratado pelo Fluminense na mesma temporada.

Um ano após sua primeira grande campanha, chegou novamente à final da Copa do Brasil, em 2007, com o Fluminense. O rival da decisão era o Figueirense. Após um primeiro jogo empatado em 1x1 no Estádio Maracanã, o Tricolor Carioca precisava vencer ou empatar com gols para ter chances de título. Na partida decisiva no Estádio Orlando Scarpelli, em Santa Catarina, o Fluminense venceu pelo placar de 1x0 e conquistou a competição, o primeiro grande título de Renato Portaluppi como técnico de futebol.

Com o título da Copa do Brasil, o Fluminense garantiu participação na Copa Libertadores de 2008. Após realizar uma campanha excepcional, onde derrotou grandes equipes como Atlético Nacional, nas oitavas de final, São Paulo, nas quartas de final; e Boca Juniors, nas semifinais. Assim, o técnico com pouco tempo de trabalho no futebol chegava a sua primeira final de Libertadores como treinador. Na decisão o enfrentamento entre Fluminense e LDU de Quito, a equipe equatoriana, que viria a ser a grande sensação nas temporadas seguintes, acabou derrotando o time carioca e conquistando a taça continental.

Após os maus resultados no Campeonato Brasileiro de Futebol de 2008, Renato foi demitido do Fluminense, assumindo o Vasco em seguida. Na equipe cruzmaltina não conseguiu repetir os bons trabalhos anteriores, acabando rebaixado à Série B de 2009. Com o resultado da temporada, Renato Portaluppi deixa o Vasco, assumindo o Fluminense pela quarta vez, em 2009. A atuação no Fluminense também não foi satisfatória, acabando por ser demitido no mesmo ano.

Em 2010 Renato teve grande passagem pelo Bahia, deixando a equipe baiana com 66,6% de aproveitamento quando deixou o clube para assumir o Grêmio, em 10 de agosto de 2010[7] [8] [9], com contrato até o final do ano, sem multa rescisória. No Imortal, Renato Portaluppi salvou o Tricolor Gaúcho da zona de rebaixamento e garantiu não só uma vaga na Copa Libertadores da América de 2011, como o Troféu João Saldanha, prêmio simbólico conferido ao melhor time do returno do Brasileirão.

Na data de 30 de junho de 2011, pediu demissão do Grêmio, após uma série de maus resultados da equipe no Campeonato Brasileiro[10] e pela derrota na final do Campeonato Gaúcho[11] para o Internacional, especula-se que o mau relacionamento com a então diretoria do Grêmio tenha contribuído para o pedido.

Após a saída do Grêmio assumiu o Athletico Paranaense, ainda em 2011, permanecendo no clube cerca de dois meses antes de se retirar do cargo, permanecendo um período afastado do futebol por vontade própria. Em 2 de julho de 2013[12] [13] [14]assumiu o Grêmio pela segunda vez, com contrato até o final do ano, sem multa rescisória, levando o clube ao vice-campeonato brasileiro do mesmo ano. Apesar do resultado, não teve seu contrato renovado pela direção do clube por desacerto salarial.

Pela quinta vez na história, assume o Fluminense, onde permaneceu menos de quatro meses antes de sua demissão. Em 19 de setembro de 2016 é anunciado como novo técnico do Grêmio.[15]

Técnico

Estatísticas por outros clubes:

Equipe Temporadas Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Madureira
Brasil
2001 16 05 02 09 35,4% [16]
Fluminense
Brasil
2002-2003 52 24 12 16 53,8%[17]
2003 13 05 03 05 45%[18]
Vasco
Brasil
2005-2007 125 57 37 31 55,4%[19]
Fluminense
Brasil
2007-2008 96 44 26 26 69,2%[20]
Vasco
Brasil
2008 13 04 02 07 35,8%[21]
Fluminense
Brasil
2009 12 01 05 06 22,2% [22]
Bahia
Brasil
2009 40 24 08 08 66,6%
Athletico Paranaense
Brasil
2011 14 04 05 05 40,4%[23]
Fluminense
Brasil
2014 18 09 05 04 59,2%[24]

* Atualizado em 3 de maio de 2019.

A estátua

A estátua de Renato
Foto:Autor desconhecido

Imortal, assim como o próprio clube. O eterno camisa 7, Renato, virou estátua e é assim que poderá ser visto por todas as gerações de agora em diante. O pedido do próprio, foi inaugurado no início da noite de 25 de março de 2019 na esplanada oeste da Arena do Grêmio. Diante de 9 mil torcedores, o autor dos dois gols contra o Hamburgo na final do Mundial de 1983 se emocionou ao discursar:

A comemoração do segundo gol marcado em Tóquio foi a inspiração para retratar o maior ídolo da história do Grêmio. Theo Felizzola, Iouri Petrov e Jamil Fraga foram os artistas responsáveis pela obra. Em 2016, após a conquista da Copa do Brasil, por brincadeira do próprio Renato, a ideia começou a ganhar corpo. Com o título da Libertadores no ano seguinte, veio a aprovação pelo Conselho Deliberativo em unanimidade.

São quatro metros de altura, contando com o pedestal, a peça é feita de bronze. O presidente Romildo registrou a fase atual do tricolor e comentou a lenda homenageada:

Banco de dadosPartidas como jogador do Grêmio

Estreia
Comercial-MS 1 x 0 Grêmio - 15/06/1980
Último Jogo
Grêmio 2 x 0 Flamengo - 04/07/1995


Banco de dadosPartidas como treinador do Grêmio

Estreia
Grêmio 0 x 2 Goiás - 12/08/2010
Último Jogo
Grêmio 3 x 2 São Luiz - 15/03/2020


Referências

  1. Sheik está na lista de jogadores "pegadores"; relembre esportes.terra.com.br (19 de setembro de 2014). Visitado em 3 de agosto de 2016.
  2. "Já transei com mais de cinco mil mulheres", diz Renato Portaluppi diversao.terra.com.br (11 de junho de 2009). Visitado em 3 de agosto de 2016.
  3. Lembra dela? Mãe de Carol Portaluppi e ex-Renato Portaluppi foi âncora na TV uolesportevetv.blogosfera.uol.com.br (19 de março de 2015). Visitado em 3 de agosto de 2016.
  4. A primeira foto de Renato Portaluppi no Olímpico wp.clicrbs.com.br (20 de setembro de 2012). Visitado em 15 de julho de 2016.
  5. Do pai colorado ao susto com relíquia: 1983 ainda ecoa na terra de Renato Globoesporte (11 de dezembro de 2013). Visitado em 03 de agosto de 2016.
  6. Renato Portaluppi enfrenta o Botafogo e a torcida que já o questionou: ‘Sou o Rei do Rio e sempre fui’ extra.globo.com (05 de outubro de 2010). Visitado em 03 de agosto de 2016.
  7. Renato Portaluppi fala como técnico do Grêmio youtube.com (10 de agosto de 2010). Visitado em 19 de fevereiro de 2018.
  8. Coletiva de Apresentação de Renato Portaluppi youtube.com (12 de agosto de 2010). Visitado em 19 de fevereiro de 2018.
  9. Renato é o novo técnico do Grêmio youtube.com/gremiotveradio (10 de agosto de 2010). Visitado em 19 de fevereiro de 2018.
  10. Renato Portaluppi deixa o Grêmio com 59,6% de aproveitamento globoesporte.globo.com (1º de julho de 2011). Visitado em 03 de agosto de 2016.
  11. Inter vence Grêmio nos pênaltis e é campeão gaúcho terratv.terra.com.br (15 de maio de 2011). Visitado em 03 de agosto de 2016.
  12. Renato será apresentado e comanda primeiro treino na Arena youtube.com (1 de julho de 2013). Visitado em 19 de fevereiro de 2018.
  13. Renato Portaluppi está de volta ao Grêmio youtube.com (2 de julho de 2013). Visitado em 19 de fevereiro de 2018.
  14. Apresentação do Renato Portaluppi youtube.com/gremiotveradio (2 de julho de 2013). Visitado em 19 de fevereiro de 2018.
  15. Apresentação de Renato Portaluppi youtube.com.br (19 de setembro de 2016). Visitado em 19 de setembro de 2016.
  16. Carreira de Renato Portaluppi como treinador Globoesporte (22 de julho de 2005). Visitado em 03 de agosto de 2016.
  17. Carreira de Renato Portaluppi como treinador Globoesporte (22 de julho de 2005). Visitado em 03 de agosto de 2016.
  18. Carreira de Renato Portaluppi como treinador Globoesporte (22 de julho de 2005). Visitado em 03 de agosto de 2016.
  19. Carreira de Renato Portaluppi como treinador Globoesporte (22 de julho de 2005). Visitado em 03 de agosto de 2016.
  20. Fluminense demite Renato Portaluppi e Cuca vai assumir o clube UOL (11 de agosto de 2008). Visitado em 03 de agosto de 2016.
  21. Lopes, Tita e Renato: trajetórias semelhantes no Vasco-2008 Globoesporte (08 de dezembro de 2008). Visitado em 03 de agosto de 2016.
  22. Fluminense demite Renato Portaluppi e Cuca vai assumir o clube Gazeta Online (1º de setembro de 2009). Visitado em 03 de agosto de 2016.
  23. Renato Portaluppi pede demissão e não é mais o técnico do Athletico Paranaense UOL (1º de setembro de 2011). Visitado em 03 de agosto de 2016.
  24. Flu anuncia demissão de Renato e quer Ney Franco com novo técnico Globoesporte (02 de abril de 2014). Visitado em 03 de agosto de 2016.