Valdo Cândido de Oliveira Filho

De Grêmiopédia, a enciclopédia do Grêmio
Ir para: navegação, pesquisa

Valdo
Valdo
Valdo
Informações pessoais
Nome completo Valdo Cândido de Oliveira Filho
Data de nasc. 12 de janeiro de 1964
Local de nasc. Siderópolis (SC), Brasil
Nacionalidade Brasileiro
Altura 1,73
Peso 67 Kg
Direito
Apelido O Mágico
Informações profissionais
Posição Meio-Campo
Números no Grêmio como Jogador
Jogos Gols Média
247 42 0.17
  • A estatística pode estar incompleta.
Clubes de juventude
Figueirense
Clubes profissionais
Anos Clubes
1984-1988
1988-1991
1991-1995
1995-1997
1997-1998
1998-2000
2000-2001
2001
2001
2002
2002
2003
2003-2004
Grêmio
Benfica
PSG
Benfica
Nagoya Grampus
Cruzeiro
Santos
Sport
Atlético-MG
Grêmio
Juventude
São Caetano
Botafogo
Seleção nacional
1986-1993 Brasil Brasil 00065 000(6)



Valdo Cândido de Oliveira Filho, ou apenas Valdo (Siderópolis-SC, 12 de janeiro de 1964) é um ex-futebolista brasileiro que atuou na posição de meia durante a sua carreira, seu grande destaque o levou a atuar no exterior. Teve duas passagens pelo Grêmio.

Biografia

Início da Carreira

Valdo nasceu em Siderópolis, uma cidade de cerca de apenas 13.000 habitantes, ao sul de Santa Catarina. Em 1981, decidiu interromper um curso de eletrônica para tentar a carreira de jogador nas categorias de base do Figueirense. A decisão mostrou-se sábia, quando em pouco tempo, o jovem jogador demonstrou grande habilidade e velocidade e destacou-se pelo clube catarinense. Ainda que em poucas partidas como profissional, Valdo era notavelmente acima da média.

Chegada ao Grêmio

Em 1983, chegou ao Grêmio em um ano muito especial, convivendo com grandes jogadores da história do clube e tendo como treinador Valdir Espinosa. Sua estreia no Grêmio foi no dia 19 de junho de 1983. Com 19 anos de idade, Valdo atuou no empate de 0 x 0 contra o Esportivo, em Bento Gonçalves, partida valida pelo Campeonato Gaúcho daquele ano. Em seu primeiro ano pelo Grêmio, foram poucas oportunidades em jogos oficiais, mas ainda assim, chamava atenção de todos nos treinos.

Sobre Valdo, em 1983, Valdir Espinosa proferiu as seguintes palavras: "A gente olha, não dá muito valor, mas aí olha de novo, porque ele aparece muito pelo gramado e vê aquele corvinho correndo e largando a bola na hora certa."

O crescimento

Em 1985, após 2 anos de adaptação e amadurecimento, Valdo finalmente conquistou sua titularidade na equipe. Com a chegada de Rubens Minelli para o cargo de técnico do tricolor.

Valdo era muito humilde, inclusive sendo do elenco do Grêmio o único jogador que até o momento ainda não tinha carro próprio. Assistindo aos treinos, Minelli percebeu que tinha que dar um jeito de encaixar aquele jovem no meio campo do Grêmio.

Atuando em diversos posições na meia cancha, Valdo destacava-se quando jogava caindo mais para a ponta esquerda. Na época, Valdo era conhecido por sua velocidade, drible e seu incrível condicionamento físico. As 3 valências tornavam o atleta um jogador imprevisível em campo. Valdo tinha a fama de "improvisar o improviso", isso é, mudar e desfecho das jogadas em meio à elas. Em 1985, Valdo e seus companheiros conquistaram o Campeonato Gaúcho, ao derrotar na final o Internacional por 2 x 1. Naquele 8 de dezembro de 1985, Valdo inclusive construiu a jogada do primeiro gol tricolor marcado por Bonamigo.

Em 1986, estava de volta ao comendo gremista o técnico campeão mundial Valdir Espinosa. Já bem mais alinhado e maduro, Valdo era o principal articulador da equipe tricolor. O trato refinado com a bola, municiando o poderoso ataque formado por Renato Portaluppi e Caio Júnior, faziam de Valdo o centro cerebral do time e do Grêmio uma equipe difícil de ser batida. Naquela temporada, o Grêmio terminaria o ano como Bi-Campeão Gaúcho e com um ataque que marcou nada menos que 170 gols.

Seleção Brasileira

As atuações do jovem meia gremista chamaram a atenção de Telê Santana, técnico gremista na retomada em 1977 e então técnico da Seleção Brasileira. Valdo foi convocado para compor o elenco na Copa do Mundo de 1986. Naquela Copa Valdo não chegou a atuar. Sua estréia pela seleção foi no ano seguinte, em Londres, quando Brasil e Inglaterra empataram o amistoso por 1 x 1.

Figura carimbada na seleção brasileira, Valdo ainda seria convocado para os jogos pan-americanos de 1987, Copa América de 1989 e Copa do Mundo de 1990.

Último ano e transferência

Em 1987, Renato Portaluppi já não estava mais no elenco gremista, sendo assim, caia sob os ombros de Valdo a responsabilidade de ser o expoente técnico da equipe. Como de costume, Valdo matou no peito a responsabilidade. Mais uma vez, Valdo foi destaque na campanha vitoriosa do Grêmio e responsável direto pelo terceiro ano seguido conquistando o Campeonato Gaúcho. O jogo do título foi um Grenal, valido pela última rodada do hexagonal final. No dia 19 de julho de 1987 Valor se seus companheiros venceram o Internacional por 3 x 2 no Estádio Olímpíco. Aliás, esse foi um cenário corriqueiro na passagem de Valdo pelo Grêmio: Em 17 Grenais disputados com Valdo em campo, o Grêmio foi vencido em apenas 2 oportunidades. Além de um grande jogador, Valdo também foi um grande vencedor de Grenais.

No final de 1987, chegou ao então presidente Paulo Odone, uma proposta do Benfica por Valdo. Depois de muita negociação, ficou acordado que Valdo ficaria até o meio do ano de 1988 no Grêmio e depois seria transferido para Portugal.

Antes de ir para o velho continente, Valdo mais uma vez foi o grande maestro do time tricolor, que por aqueles tempos ficou conhecido como "O Grêmio Show". Em 1988, novamente o tricolor venceria o Campeonato Gaúcho - O quarto consecutivo. Valdo deixou o Grêmio como sempre fez em sua passagem pelo clube: Campeão

Europa e Japão

Valdo chegou em Portugal e não demorou muito para cair nas graças da torcida do Benfica. Atuou no clube português de 1988 até 1991, quando foi jogar no Paris Saint Germain da França. Na França, Valdo ficou de 1991 até 1995, quando então retornou ao Benfica, onde jogou por 2 temporadas. Em 1997, o meia transferiu-se para o futebol japonês, onde por 2 anos defendeu o Nagoya Grampus.

Segunda passagem pelo Grêmio

Em 1998, Valdo voltou ao Brasil para atuar pelo Cruzeiro. Em uma passagem surpreendentemente positiva, apesar da idade já um tanto avançada, Valdo demonstrou suas características de sempre: velocidade e habilidade.

Depois de passar por alguns outros clubes, no dia 21 de dezembro de 2001, Valdo retornava ao Grêmio. Sem o mesmo destaque de outrora, Valdo atuou pouco pelo tricolor e ao final da temporada transferiu-se para o Juventude. Depois da passagem por Caxias do Sul, Valdo ainda atuaria por mais duas equipes e encerraria sua carreira como profissional em 2004, aos 40 anos de idade.

Encerrava-se ali, a carreira de um notável meia, que para muitos, foi um dos melhores que já passaram pelo tricolor. Velocidade, habilidade e uma inteligência acima do comum fizeram de Valdo Cândido de Oliveira Filho, um jogador sempre lembrado entre a torcida gremista.

Títulos

Grêmio
Benfica
  • Portugal Campeonato Português: 2 (1988–89 e 1990–91)
  • Portugal Taça de Portugal: 2 (1995–96 e 1996–97)
  • Portugal Super Taça: 1 (1989)
Paris Saint-Germain
  • França Campeonato Francês: 1 (1993–94)
  • França Copa da França: 2 (1993–94 e 1994–95)
  • França Copa da Liga: 1 (1994–95)
Cruzeiro
Seleção Brasileira
  • Copa América: 1 (1989)
  • Jogos Pan-Americanos: 1 (1987)
  • Torneio Pré-Olímpico: 1 (1987)
  • Taça Stanley Rous: 1 (1989)

Referências