Victor Leandro Bagy

De Grêmiopédia, a enciclopédia do Grêmio
Ir para: navegação, pesquisa

Victor
Victor
Victor em 2012
Informações pessoais
Nome completo Victor Leandro Bagy
Data de nasc. 21 de janeiro de 1983 (37 anos)
Local de nasc. Santo Anastácio-SP, BRA
Nacionalidade Brasil
Informações profissionais
Função Goleiro
Registro CBF 156659
Altura 1,93m
Peso 84kg
Canhoto
Como jogador do Grêmio
Jogos Gols Média
263 0 0
  • A estatística pode estar incompleta.
Categorias de base
Anos Clubes
1997 Brasil São Paulo
1998-2000 Brasil Paulista
Clubes profissionais
Anos Clubes
2001-2007 Brasil Paulista
2002 Brasil Ituano (emp.)
2008-2012 Brasil Grêmio
2012-atual Brasil Atlético Mineiro
Seleção nacional
Anos Seleção Jogos (gols)
2009-2011 Brasil Brasil       

Victor Leandro Bagy, também conhecido como Victor (Santo Anastácio-SP, BRA, 21 de janeiro de 1983).

Banco de dadosEstatística como jogador do Grêmio

GRÊMIO Jogos Vitórias Empates Derrotas Gols pró Gols contra Saldo de gols Aproveitamento
Mandante
129
92
22
15
279
105
174
77%
Visitante
134
54
30
50
196
178
18
47.8%
Total
263
146
52
65
475
283
192
62.1%

A estatística está em processo de contagem no Banco de Dados, e pode sofrer alterações. Quando estiver completa, esta mensagem será suprimida.

Icone Livro.png História

Desde pequeno, Victor apresentou um bom desempenho como goleiro, o que resultou em começar a sua carreira no ano de 1997 nos infantis do São Paulo Futebol Clube aos 14 anos. Com Rogério Ceni demonstrando bom desempenho na equipe profissional do tricolor paulista, Victor decidiu se transferir para outro clube do estado, se mudando de São Paulo para Jundiaí para defender o Paulista Futebol Clube em 1998. Em 2000, aos 17 anos de idade, iniciou sua carreira como profissional no Paulista. No ano de 2002 foi emprestado para o time do Ituano e voltou no ano seguinte. Durante grande parte de sua passagem na equipe jundiaiense, Victor foi reserva de Rafael Wihby Bracali. No ano de 2005, Victor participou da maior conquista da história do Paulista, a Copa do Brasil de 2005, sob liderança do técnico Vagner Mancini. Neste mesmo ano, coincidentemente, durante a disputa do Campeonato Brasileiro de Futebol - Série B, enfrentou o Grêmio, sua futura equipe e acabou perdendo por 2 x 1. No ano de 2007, foi titular absoluto do Paulista durante toda a temporada. No ano de 2008, após muitas especulações e rebaixamento precoce para a série C do Campeonato Brasileiro, foi contratado pelo Grêmio a pedido do técnico Vagner Mancini, com quem trabalhou nos tempos de Paulista.

Grêmio

2008

No dia 19 de dezembro de 2007, após a fracassada negociação de renovação de contrato com o goleiro argentino Saja, o Grêmio correu durante dias atrás de um goleiro para a estreia do Campeonato Gaúcho de Futebol de 2008. Com a contratação do treinador Vagner Mancini, este indicou aos tricolores o nome do goleiro Victor. Dias depois, a contratação foi oficializada com 50% dos seus direitos federativos comprados pela equipe gaúcha.

Chegou no clube com receio de alguns fãs por não ter tido bom resultado com a equipe paulista na ultima temporada, dividindo a titularidade com o também goleiro da equipe, Grohe. Após um bom começo de Campeonato Gaúcho, sofrendo poucos gols, e fazendo boas defesas, Victor conseguiu assumir a titularidade, ainda durante a pré-temporada. Acabou lesionando-se e durante esse tempo, assistindo as desclassificações do Grêmio no Campeonato Gaúcho para o Juventude e da Copa do Brasil para o Atlético Goianiense, clube que na época estava disputando a série C. Victor teve de ficar fora dos gramados por cerca de um mês, por causa de uma lesão renal, contraída no jogo contra o Esportivo, em 24 de fevereiro de 2008.[1] Após o retorno da lesão, retomou a titularidade no seu clube. Voltou ao time na estreia do Campeonato Brasileiro contra o São Paulo, então campeão do torneio, no Estádio do Morumbi. Passadas as 18 rodadas do primeiro turno, Victor era considerado por especialistas como o melhor goleiro em atividade no futebol brasileiro.[2] O Grêmio foi o campeão do primeiro turno do Brasileiro, porém, após falhas fora de casa e empates em casa, terminou a competição como vice-campeão, atrás do São Paulo.

2009

No ano seguinte, em 2009, Victor foi titular durante toda a campanha do Campeonato Gaúcho de Futebol, levando sua equipe a final do primeiro turno, mas acabou sendo derrotado por seu arquirival, o Internacional, por 2x1, no Estádio Beira Rio. Também participou do primeiro Gre-Nal do interior, realizado no Estádio Colosso da Lagoa em Erechim, vitória do rival novamente por 2x1. No segundo turno da competição, foi novamente derrotado na primeira fase de mata-mata, sendo eliminado da competição com uma campanha muito abaixo do esperado e resultando em demissão de seu treinador, Celso Roth. Com a Copa Libertadores da América de 2009 em andamento, o Grêmio dividiu as competições, colocando os reservas para disputar o Campeonato Brasileiro. Victor foi um dos únicos jogadores titulares a começar os jogos nos dois torneios. Na Libertadores, foi uma das peças fundamentais no fase de grupos, conquistando cinco vitórias e um empate em seis jogos, a melhor campanha dos 32 clubes da competição. Foi destaque ao levar o Grêmio para as semifinais, após passar por Universidad San Martín e Caracas, do Peru e da Venezuela, respectivamente.

Foi eliminado para o Cruzeiro de Minas Gerais. Até hoje, há polêmica entre os gremistas, pois com a boa fase de Victor, o goleiro acabou sendo convocado para a Seleção Brasileira para a disputa da Copa das Confederações de 2009, se ausentando no primeiro jogo das finais, quando o Grêmio foi derrotado por 3-1; quem jogou na ocasião foi Grohe. No jogo de volta, não teve boa atuação, sofrendo dois gols logo no início do jogo, mas sua equipe empatou em 2-2.

Em julho de 2009, quando disputava a Copa das Confederações, seu futebol chamou a atenção de outros clubes do exterior, e chegou a receber sondagens de dois clubes europeus: Bari e Benfica. No entanto, por decisão do próprio jogador, do empresário e dos dirigentes gremistas, Victor decidiu permanecer em Porto Alegre e anunciar inclusive a sua renovação de contrato.[3].

No final do ano, Victor considerou a partida contra o Flamengo, realizada no Estádio Olímpico, em jogo pelo Campeonato Brasileiro no dia 16 de agosto como a melhor realizada ao longo de seus oito anos de carreira. Após sair atrás do placar no começo da partida, Victor fez seis grandes defesas durante a partida inteira. O Grêmio reagiu e venceu por 4x1.[4]. Durante boa parte da temporada, foi o capitão do time, braçadeira herdada devido as ausências de Tcheco, tornando-o um dos principais líderes do time gremista.

2010

Em 2010, o Grêmio contratou um novo treinador, Silas, e reforços como Borges, Leandro Lessa, Douglas e Hugo. Victor, por sua vez, assumiu a titularidade durante o ano inteiro e virou o novo capitão da equipe. Participou da campanha que deu ao tricolor gaúcho a conquista do primeiro turno do Campeonato Gaúcho, o primeiro título do goleiro desde que chegou ao clube. No segundo turno, acabou sendo eliminado pelo Pelotas no Estádio Olímpico Monumental por 2x1, de virada. Como já estava classificado para a final do campeonato por vencer um dos turnos, enfrentou o Internacional na final. Vitória gremista por 2x0 na primeira partida, fora de casa. Na volta, perdeu por 1-0. Mesmo assim, sagrou-se campeão do Campeonato Gaúcho de Futebol de 2010.

Na Copa do Brasil, após passar por Araguaia Atlético Clube, Votoraty Futebol Clube, Avaí Futebol Clube e Fluminense Football Club, seu time foi eliminado pelo Santos. Após uma vitória por 4-3 no Estádio Olímpico no jogo de ida, Victor não conseguiu evitar a derrota por 3-1 no jogo de volta, impedindo a classificação gremista para a final da competição. No Campeonato Brasileiro o time terminou o primeiro turno nas últimas colocações da tabela e seu treinador foi demitido e substituído por Renato Portaluppi. Com o novo técnico, Victor perdeu a faixa de capitão para Fábio Rochemback]]. No segundo turno, o Grêmio conseguiu a quarta colocação na competição, classificando-se para a Copa Libertadores da América de 2011, e melhor campanha no segundo turno com 43 pontos, superando o campeão Fluminense que no primeiro turno fez 30.

Victor ficou de fora da convocação da Seleção Brasileira do técnico Dunga para a Copa do Mundo de 2010. Após a demissão do treinador e a contratação de Mano Menezes, ex-treinador do Grêmio de 2005 a 2007, Victor foi titular durante o tempo em que este dirigiu a Seleção no ano, destacando-se em amistosos contra os Estados Unidos e Argentina.

2011

No Campeonato Gaúcho, após um empate com o Caxias no tempo normal, Victor defendeu duas cobranças de pênaltis, que colocou o Grêmio antecipadamente na final do torneio. No segundo turno, levou sua equipe a final, mas se ausentou devido a mais uma convocação para a Seleção Brasileira, ficando de fora do principal jogo. Na final, ainda se ausentou no primeiro jogo, ao qual o Grêmio venceu por 3x2 fora de casa. Retornou no segundo jogo, mas não pode evitar a derrota para o Internacional pelo mesmo placar no tempo normal O Grêmio perdeu nos pênaltis por 5x4, com Victor defendendo duas cobranças.

Semanas antes, o Grêmio não havia ido bem na Copa Libertadores da América, classificando-se em segundo na fase de grupos e perdendo nas oitavas-de-final para o Universidad Católica do Chile por 2x1 e 1x0, jogos dos quais Victor não participou. No meio do ano, foi convocado pelo técnico Mano Menezes para a disputa da Copa América de 2011 sem jogar uma partida sequer. Foi convocado como terceiro goleiro para a disputa do Superclássico das Américas contra a Argentina, onde foi campeão. Em uma partida contra o América Mineiro no Estádio Olímpico, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro, Victor completou 200 jogos com a camisa tricolor.

No dia 30 de outubro, participou do reencontro com Ronaldinho pela primeira vez jogando contra o clube gaúcho, em Porto Alegre. Após sair perdendo por 2x0, o tricolor virou a partida no segundo tempo com gols de André Lima, Douglas e Miralles.

2012

em 2012, o Grêmio contratou os atacantes Kléber e Marcelo Moreno; e os meias Marco Antônio e Léo Gago. Em uma entrevista concedida ao Globo Esporte, o goleiro afirmou que um time de tradição como o Grêmio não poderia ficar com carências de título e previa um ano glorioso ao seu clube.[5] Em 4 de janeiro, iniciou os primeiros treinamentos para a realização da pré-temporada. Semanas mais tarde, estrearia no Campeonato Gaúcho diante do Lajeadense.

No dia 12 de janeiro, durante a pré temporada do Grêmio, Victor afirmou que seu grande objetivo no novo ano era fazer uma temporada excelente com títulos no clube e voltar à Seleção Brasileira, o que não acontecia há um tempo, pois no ano de 2011, chegou a ser reserva de Julio César e Jefferson.[6] Com a entrada de Caio Júnior como treinador da equipe, Victor passou a ser o capitão do time para a nova temporada, substituindo o volante Fábio Rochemback, que mantinha o posto desde 2010.

Os seis primeiros meses de 2012 foram também os últimos com a camisa 1 do Grêmio. Mostrou muito interessado na proposta feita por Alexandre Kalil para defender a equipe do Atlético Mineiro. Fechou um contrato por 5 temporadas e foi anunciado no dia 29 de junho no twitter do presidente.


Títulos

Paulista
  • Copa do Brasil: 2005
Grêmio
  • Campeonato Gaúcho: 2010
Atlético Mineiro
  • Campeonato Mineiro: 2013, 2015, 2017
  • Copa Libertadores: 2013
  • Recopa Sul-Americana: 2014
  • Copa do Brasil: 2014
  • Florida Cup: 2016
Seleção Brasileira
  • Copa das Confederações FIFA: 2009
  • Superclássico das Américas: 2011


Banco de dadosPartidas como jogador do Grêmio

Estreia
Grêmio 3 x 0 15 de Novembro - 19/01/2008
Último Jogo
Grêmio 2 x 0 Flamengo - 24/06/2012


Referências