Adílson Warken

De Grêmiopédia, a enciclopédia do Grêmio
Ir para: navegação, pesquisa

Adílson Warken
Adílson Warken
Informações pessoais
Nome completo Adílson Warken
Data de nasc. 16 de janeiro de 1987 (32 anos)
Local de nasc. Bom Princípio - Rio Grande do Sul, Brasil
Nacionalidade Brasil
Alemanha
Altura 1,81 m
Peso 75 kg
Destro
Informações profissionais
Clube atual Atlético Mineiro
Número 21
Posição Volante
Números no Grêmio como Jogador
Jogos Gols Média
8 0 0
  • A estatística pode estar incompleta.
Clubes de juventude
2005
2006
Caxias
Grêmio
Clubes profissionais2
Anos Clubes
20072011
20122017
2017
Grêmio
FC Terek Grozny
Atlético Mineiro



Adílson Warken (Bom Princípio, 16 de janeiro de 1987) é um futebolista brasileiro que atua como volante. Atualmente, joga pelo Atlético Mineiro.

Carreira

Grêmio

Adílson começou sua carreira no Sociedade Esportiva e Recreativa Caxias do Sul, equipe onde jogava até sua adolescência. Anos mais tarde, já na categoria de júniores, logo atraiu a atenção do Grêmio, que o contratou. Subiu ao profissional no ano de 2007, sendo uma das principais promessas do clube que tem grande tradição em revelar excelentes volantes para o futebol mundial. Desde que chegou ao novo clube, foi muito comparado com Lucas Leiva, tanto pela semelhança física (ambos são loiros), quanto pela posição em que jogam (ambos são volantes). No campeonato gaúcho, jogou poucas partidas, obtendo minusculo destaque, porém participou do time gremista campeão do torneio ao derrotar o Internacional, no Estádio Beira Rio com um empate em 1x1. Com o jogo de ida em 0x0, o Grêmio foi campeão com a vantagem do empate. O primeiro título do jovem volante.

No ano seguinte, foi campeão gaúcho novamente pelo Grêmio, desta vez, o título foi diante do Juventude de Caxias do Sul, outro grande rival do tricolor gaúcho. Após um empate em 3x3 no Estádio Alfredo Jaconi, sua equipe goleou no jogo de volta por 4x1, partida realizada no Estádio Olímpico Monumental. Na disputa da Copa Libertadores da América, Adilson não ganhava muito espaço, era reserva de Lucas, Sandro Goiano e Diego Gavilán, inclusive ficando de fora da lista do técnico Mano Menezes dos 25 convocados do torneio. Sua boa fase começou logo no início do Campeonato Brasileiro de Futebol, quando se destacou no time b da equipe. Em 27 de maio de 2007, Adílson fez seu primeiro gol na carreira de jogador profissional de futebol. Em um jogo realizado no Estádio Olímpico, em Porto Alegre, o volante acertou um cruzamento direto no gol, o único da vitória gremista por 1x0 contra o Sport Recife. Adílson foi muito castigado pelas repetidas lesões em 2007, ano que foi promovido aos profissionais do clube. Teve uma fratura no pé no primeiro semestre deste ano, lesão que voltou a se repetir no segundo semestre do mesmo ano, levando Adílson a ser operado, inviabilizando o seu retorno aos gramados até o início de 2008.

No começo de 2008, com a saída do técnico Mano Menezese de Vágner Mancini e a entrada do novo treinador, Celso Roth, Adílson foi titular em algumas partidas. No entanto, foi sacado da equipe "por não ter fôlego suficiente para aguentar o jogo inteiro".[1] Pelo resto do ano, Adílson não teve muitas chances. Seu melhor momento ocorreu na primeira fase do Campeonato Gaúcho de Futebol de 2008. Na ocasião, o Grêmio colocou em campo seus reservas, visto que poupava os titulares para a disputa do Campeonato Brasileiro. Sua equipe acabou eliminada do gauchão no começo do ano para o Juventude nas quartas de finais, mas no Campeonato Brasileiro, fazendo dupla de volantes com Rafael Carioca, Adílson se tornou um dos principais destaques do Grêmio na conquista da melhor campanha do primeiro turno desde que o campeonato brasileiro começou a ser disputado no formato de pontos corridos. No segundo turno, seu rendimento continuou o mesmo, com sua características de belo desarmador e organizador do meio de campo gremista. Porém, o Grêmio acabou perdendo o campeonato para o São Paulo, mesmo assim, foi considerado uma das grandes revelações da competição, além de ser um dos melhores volantes daquele ano.

No ano de 2009, seus espaços no Grêmio cresceram após o grande sucesso, o apoio do torcedor e a grave lesão de Willian Magrão, com isso, Adílson assumiu de vez a camisa 11 e virou titular absoluto da equipe do Grêmio pelo Campeonato Gaúcho de Futebol de 2009 e pela Libertadores. No Campeonato Gaúcho, levou sua equipe a final do primeiro turno, mas acabou sendo derrotado pelo Internacional por 2x1, já no segundo, foi eliminado logo nas quartas de finais, saindo da competição com um desempenho abaixo do normal e do esperado pela torcida gremista. Na Libertadores, foi fundamental nos jogos contra o Caracas da Venezuela e o Universidad San Martín do Peru, porém nas semi finais, foi eliminado para o Cruzeiro em 3x1 no jogo de ida, e 2x2 em Porto Alegre. No restante do campeonato brasileiro, foi mais uma vez o destaque da equipe. Durante o ano, trabalhou com Paulo Autuori e Marcelo Rospide (Interino). Na temporada seguinte, participou do time campeão gaúcho, sendo fundamental na vitória do jogo de ida contra o Internacional, vitória por 2x0 no Estádio Beira Rio.

Recebeu elogios da torcida pelo poder de marcação, mas em 2011 foi criticado pelo técnico Renato Portaluppi pela pequena participação ofensiva.[2]

Terek Grozny

Adílson passou uma semana analisando a proposta do FC Terek Grozny e não estava disposto a aceitar a transferência para o futebol russo. Foi quando Rodolfo, ex-Grêmio e que defendeu o FC Lokomotiv Moscou, conversou com o jogador, melhorou o panorama e garantiu o sucesso da negociação confirmada no dia 20 de dezembro.

O jogador tinha 55% de seus direitos econômicos vinculados ao Grêmio e rendeu ao clube 1,2 milhões de euros (cerca de R$ 2,9 milhões). A diretoria do clube investiu os recursos obtidos com a transferência no pagamento de Marcelo Moreno, que custou 6 milhões de euros aos cofres do clube ao longo de dois anos de parcelamento.

No dia 22 de abril de 2013, o volante marcou seu primeiro gol com a camisa do time russo, após tabelinha com direito a passe de letra do próprio. Foi contra a equipe "Rostov", também russa, em partida válida pela Premier League Russa. O "alemão" (como é conhecido) vem encantando os russos com sua raça e bom futebol, agora jogando mais adiantado, várias assistências já sairam dos pés do volante do time Checheno.

Atlético Mineiro

Após rescindir com a equipe russa, no dia 2 de março de 2017, o jogador assinou um contrato de dois anos com o Atlético Mineiro No dia 7 de maio de 2017, Adílson disputou sua primeira final pelo Atlético Mineiro, vencendo o campeonato estadual após emocionante vitória por 2 x 1 sobre o Cruzeiro, seu maior rival. Nesta partida, apesar da expulsão no final do jogo, Adilson teve grande destaque pelos inúmeros desarmes e muita raça demonstrada.

Preterido no início da temporada de 2018 pelo técnico Oswaldo de Oliveira, sendo relacionado para disputar o Torneio da Flórida juntamente com o time B, trabalhou forte nos treinos, ganhando novamente seu espaço e se tornando um grande pilar do meio de campo do técnico Thiago Larghi, se destacando com bons números.

Títulos

Grêmio

Atlético Mineiro

  • Campeonato Mineiro de Futebol de 2017

Prêmios individuais

  • Seleção do Campeonato Gaúcho: 2010
  • Troféu Globo Minas - Seleção do Campeonato Mineiro: 2018

Referências

  1. Mancini satisfeito com Adílson Globo Esporte (2008-2-3). Visitado em 2017-12-2. Cópia arquivada em 4/2/2008.
  2. R. Gaúcho cobra mentalidade ofensiva a Adilson no Grêmio (em pt) www.goal.com Goal.com (6 de abril de 2011). Visitado em 2017-12-02.