Copa Libertadores da América de 2017

De Grêmiopédia, a enciclopédia do Grêmio
Ir para: navegação, pesquisa

Copa Libertadores da América de 2017
LVIII Copa Libertadores de América
CONMEBOL Libertadores Bridgestone 2017
Conmebol Libertadores Bridgestone.png
Dados
Participantes 47
Organização CONMEBOL
Anfitrião Bandeiras da América do Sul.gif América do Sul
Período 23 de janeiro29 de novembro
Gol(o)s 422
Partidas 154
Média 2,74 gol(o)s por partida
Campeão Brasil Grêmio (3º título)
Vice-campeão Argentina Lanús
Melhor marcador 9 gols:
Melhor ataque Brasil Atlético Mineiro – 17 gols
Melhor defesa 3 gols:
Maior goleada
(diferença)
River Plate Argentina 8–0 Bolívia Jorge Wilstermann
Estádio Monumental de Nuñez, Buenos Aires
21 de setembro, quartas de final
Média pessoas por partida
◄◄ 2016 Soccerball.png 2018 ►►

A Copa Libertadores da América de 2017, oficialmente CONMEBOL Libertadores Bridgestone 2017, é a 58ª edição da competição de futebol realizada anualmente pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL). Pela 17ª vez o Grêmio participa do torneio, tendo divulgado a lista de jogadores em 8 de março[1].

O clube campeão vai participar da Copa do Mundo de Clubes da FIFA de 2017, representando a CONMEBOL e também disputará a Recopa Sul-Americana de 2018, contra o campeão da Copa Sul-Americana de 2017.

A Copa

Grêmio, Campeão da Libertadores em 2017
Foto: Juan Mabromata / AFP

Criada no ano de 1960, a Taça Libertadores da América, nome em homenagem aos principais líderes da independência das nações da América do Sul, a competição teve ao longo de suas edições diversas formulas e participantes, sendo seus maiores campeões o Independiente, o Boca Juniors e o Peñarol, sendo que o país que mais detêm títulos da competição é a Argentina.

No ano de 2016 foi proposta uma reformulação na competição, seguindo padrões da Liga dos Campeões, onde a mesma se estenderia por mais tempo, essa reformulação entrou em vigor já no ano seguinte, fazendo com que a competição durasse praticamente o ano todo, de janeiro a novembro. Além de mais longa a competição passou a ter mais participantes, padronizações para procedimentos de jogo e estádios. Tudo isso para tornar-se mais rentável aos clubes participantes. Processo semelhante ao ocorrido na Europa, anos atrás.

Classificado diretamente a fase de grupos, devido a conquista da Copa do Brasil de 2016, o Grêmio estreou no torneio no dia 9 de março e sagrou-se campeão no dia 29 de novembro. Tornando-se ao lado de São Paulo e Santos os maiores campeões brasileiros da competição, cada um com três títulos. Além de ser ao lado do Palmeiras o clube brasileiro com mais participações na competição.

Um triunfo que passou pelas mãos de Grohe, pés de Luan, bravura de Geromel e a cima de tudo pela casamata onde estava um dos maiores ídolos do clube, Renato Portaluppi.

Precedentes à conquista

Grêmio, Campeão da Copa do Brasil em 2016
Foto: Diego Vara / Reuters

Após longo jejum de títulos, foram 15 anos de fila, o Grêmio chegava a conquista de mais uma Copa do Brasil, sua quinta, uma especialidade do clube, ganhando o título com sobras dentro de sua nova casa. Enfrentou ao longo da competição tradicionais rivais, Athletico Paranaense, Palmeiras, Cruzeiro e na grande final o Atlético-MG, que havia sido o último clube brasileiro a ganhar a Taça Libertadores.

Durante a competição jogou com o regulamento em baixo do braço, como se diz no jargão do futebol, ganhou pelo placar mínimo em Curitiba, quando ainda contava com o técnico Roger Machado na casamata. Após queda de rendimento no Campeonato Brasileiro, chegaram Renato Portaluppi e Espinosa, herdaram o toque de bola do antigo treinador e consolidaram a defesa.

Na partida de estreia de Renato, decisão por pênaltis, um herói formado na base tricolor embaixo das traves e um pouco de sorte. O Grêmio estava nas quartas de final. Agora o adversário a ser enfrentado era o Palmeiras, líder do Campeonato Brasileiro. Com uma vitória em casa e um empate fora, o Tricolor carimbava o passaporte para a semifinal onde enfrentaria o Cruzeiro.

No dia 26 de outubro ocorreu o que passou a ser conhecido como o primeiro Baile de Minas, o Grêmio fez 2x0 ao natural e poderia perder por até um gol para chegar a mais uma final de Copa do Brasil, sua oitava, 0x0 na Arena e agora era só aguardar se teríamos Atlético-MG ou Internacional na final. Porém os colorados não foram páreo para os mineiros e a final seria decidida entre Grêmio e Atlético-MG.

Grêmio, o Rei de Copas

Com o sorteio dos mandos de campo o primeiro jogo ficou para o dia 23 de novembro em Minas Gerais, então tivemos a segunda edição do Baile de Minas, com Pedro Rocha marcando 2 gols o tricolor voltou com o placar de 3x1 na bagagem. Agora faltavam apenas 90 minutos onde o Grêmio poderia perder por até um gol de diferença que ainda assim conquistaria o Pentacampeonato.

Durante a espera para o jogo da volta, o trágico acidente com a delegação da Chapecoense abalou o mundo do futebol, não havia clima para mais nada. A decisão foi adiada em uma semana de muito luto e homenagens aos amigos perdidos.

Porém a final tinha que acontecer e em uma partida marcada pelo luto e gritos de Vamo, vamo Chape, com gols de dois Equatorianos, Bolaños para o Grêmio e Cazares para o Galo, o dia 7 de dezembro entrou para a história tricolor. O Grêmio tornava-se pentacampeão, o Rei de Copas.

A conquista

A edição de 2017 da Copa Libertadores da América contou com 47 equipes, sendo que destas 13 já haviam conquistado o título e queriam repeti-lo. Esses participantes totalizavam 30 títulos da Libertadores, divididos entre Argentina, Brasil e Uruguai cada um com 8 títulos, Paraguai com 3, Colômbia, com 2 e Chile com 1. A equipe com mais título desta edição era o Peñarol, com 5 títulos, seguido de perto por Estudiantes, com 4, Nacional, Olímpia, River Plate e Santos cada um com 3, Atlético Nacional e Grêmio com 2, e Atlético-MG, Colo-Colo, Flamengo, Palmeiras e San Lorenzo, com 1.

Na fase de grupos o Tricolor ficou no Grupo 8, um grupo relativamente fácil com Deportes Iquique do Chile, Guaraní do Paraguai e Zamora da Venezuela. Se classificou para as oitavas de final da competição com a terceira melhor campanha, atrás apenas de Atlético-MG e Lanús, este segundo graças a má escalação de um atleta da Chapecoense que fez com que, através do tribunal, o Lanús tivesse um gol a mais que o Grêmio, e como este era um critério de desempate, ficamos com a terceira melhor campanha.

Como já havia sido preestabelecido, para as oitavas de final, seria realizado um sorteio onde os primeiros colocados enfrentariam os segundos colocados de cada grupo. Com partidas de ida e volta, onde o mando de campo do segundo jogo seria da equipe com melhor desempenho na fase de grupos. Então mediante sorteio o Grêmio conheceu seu adversário, o Godoy Cruz da Argentina, com duas vitórias o Tricolor se classificou para as quartas de final.

Na fase seguinte o adversário seria o Botafogo, clube ainda sem título de Libertadores, mas que vinha sendo chamado de Destruidor de Campeões por ter eliminado da competição 5 campeões: Colo-Colo, Olímpia, Estudiantes, Atlético Nacional e Nacional do Uruguai. Porém com o Imortal foi um pouco diferente, depois de empate em 0x0 no Rio, vitória de score mínimo em Porto Alegre. O gol de Barrios, contra o Botafogo nas quartas de final abriu caminho para mais uma semifinal onde o adversário seria o Barcelona de Guayaquil, que por sua vez já havia eliminado 2 clubes brasileiros, o milionário Palmeiras e o jovem Santos, o segundo com vitória dentro da Vila Belmiro.

Defesa do ano, Grohe em atividade.
Foto: Carlos Barros / El Universo

Com uma apresentação de gala de toda a equipe o Grêmio voltou do Equador virtualmente classificado para a final, pois nunca antes na história da competição um clube visitante havia aplicado tamanha goleada em uma semifinal, foram 3x0, Luan duas vezes e Edilson, e ainda uma defesa monumental de Grohe. No jogo da volta o time rendeu pouco, sabendo que poderia perder por até dois gols se deixou abater por 1x0, mas chegava a sua quinta final.

Na final nos deparamos com um argentino, mais um, era a terceira final contra argentinos, nunca havíamos ganho de argentinos em finais de Libertadores, mas em 2017 haveria de ser diferente. Na casa tricolor um jogo truncado com placar magrinho, gol chorado de Cícero aos 37 minutos do segundo tempo, pênalti não marcado e muita reclamação. Voamos para a Argentina com apenas um desejo, voltar campeão.

A direção gremista armou um forte esquema de segurança para evitar a torcida adversária, dentro de campo o tricolor fez um primeiro tempo memorável. Com uma arrancada formidável, Fernandinho abre o placar e pouco depois Luan, o Rei da América, marca um golaço. A jovem revelação tricolor, Arthur, dominava o meio campo e na defesa ninguém superava Bressan e Geromel. Muito embora os argentinos tenham descontado com gol de pênalti no segundo tempo, nada podiam fazer além de assistir o Grêmio erguendo pelas mãos de seu capitão a sua terceira taça da Libertadores.

Equipes classificadas

País Equipe Classificação Fase
Argentina Argentina


(6 vagas)

Lanús Campeão do Campeonato Argentino de Futebol de 2016 Fase de grupos
San Lorenzo Vice-campeão do Campeonato Argentino 2016
Estudiantes 3º colocado do Campeonato Argentino 2016
Godoy Cruz 4º colocado do Campeonato Argentino 2016
River Plate Campeão da Copa Argentina de Fútbol 2016
Atlético Tucumán 5º colocado do Campeonato Argentino 2016 Segunda fase
Bolívia Bolívia


(4 vagas)

Sport Boys Campeão do Torneo Apertura 201516 Fase de grupos
Jorge Wilstermann Campeão do Torneo Clausura 201516
The Strongest Melhor pontuação na temporada boliviana 201516 Segunda fase
Universitario de Sucre 2ª melhor pontuação na temporada boliviana 201516 Primeira fase
Brasil Brasil


(7 vagas + campeão da Sul-Americana)

Chapecoense Campeã da Copa Sul-Americana de 2016 Fase de grupos
Palmeiras Campeão do Campeonato Brasileiro de Futebol de 2016
Grêmio Campeão da Copa do Brasil 2016
Santos Vice-campeão do Campeonato Brasileiro de 2016
Flamengo 3º colocado no Campeonato Brasileiro de 2016
Atlético-MG 4º colocado no Campeonato Brasileiro de 2016
Botafogo 5º colocado no Campeonato Brasileiro de 2016 Segunda fase
Athletico Paranaense 6º colocado no Campeonato Brasileiro 2016
Chile Chile


(4 vagas)

Universidad Católica Campeão do Torneo Clausura 201516 e do Torneo Apertura 201617 Fase de grupos
Deportes Iquique Vice-campeão do Torneo Apertura 201617
Colo-Colo Campeão da Copa do Chile 2016 Segunda fase
Unión Española Vencedor do duelo de vice-campeões chilenos 2016
Colômbia Colômbia


(4 vagas + atual campeão)

Atlético Nacional Campeão da Copa Libertadores da América de 2016 Fase de grupos
Independiente Medellín Campeão do Torneo Apertura 2016
Santa Fe Campeão do Torneo Finalización 2016
Millonarios Melhor pontuador da temporada colombiana 2016 Segunda fase
Junior Barranquilla 2º melhor pontuador da temporada colombiana 2016
Equador Equador


(4 vagas)

Barcelona de Guayaquil Campeão do Campeonato Equatoriano 2016 Fase de grupos
Emelec Vice-campeão do Campeonato Equatoriano 2016
El Nacional Melhor pontuação na temporada equatoriana 2016 Segunda fase
Independiente del Valle 2ª melhor pontuação na temporada 2016 Primeira fase
Paraguai Paraguai


(4 vagas)

Libertad Campeão do Campeonato Paraguaio Apertura de 2016 Fase de grupos
Guaraní do Paraguai Campeão do Campeonato Paraguaio Clausura de 2016
Olimpia Melhor pontuação na temporada paraguaia 2016 Segunda fase
Capiatá 2ª melhor pontuação na temporada paraguaia 2016 Primeira fase
Perú Peru


(4 vagas)

Sporting Cristal Campeão do Campeonato Descentralizado 2016 Fase de grupos
Melgar Vice-campeão do Campeonato Descentralizado 2016
Universitario 3º colocado no Campeonato Descentralizado 2016 Segunda fase
Deportivo Municipal 4º colocado no Campeonato Descentralizado 2016 Primeira fase
Uruguai Uruguai


(4 vagas)

Peñarol Campeão do Campeonato Uruguaio 201516 Fase de grupos
Nacional Vice-campeão do Campeonato Uruguaio 201516
Cerro Porteño Melhor pontuação na temporada uruguaia 201516 Segunda fase
Montevideo Wanderers 2º colocado do Torneo de Transición 2016 Primeira fase
Venezuela Venezuela


(4 vagas)

Zamora Campeão do Campeonato Venezuelano 201516 Fase de grupos
Zulia Vice-campeão do Campeonato Venezuelano 201516
Carabobo Melhor pontuação na temporada venezuelana 201516 Segunda fase
Deportivo Táchira 2ª melhor pontuação na temporada venezuelana 201516 Primeira fase

Fases Preliminares

Primeira Fase

Após ter sido definido por sorteio, os três confrontos em ida e volta definem os times que avançam para a Segunda Fase da Copa Libertadores. Em caso de empate na soma dos placares o gol qualificado será critério de desempate, persistindo a igualdade a disputa vai para os pênaltis.

Chave Equipe 1 Total Equipe 2 Data Ida Volta
E1 Universitario de Sucre Bolívia 5–7 Uruguai Montevideo Wanderers 23/jan 27/jan 3–2 2–5
E2 Deportivo Municipal Perú 2–3 Equador Independiente del Valle 23/jan 27/jan 0–1 2–2
E3 Deportivo Capiatá Paraguai 1–0 Venezuela Deportivo Táchira 23/jan 27/jan 1–0 0–0

Segunda Fase

Oito confrontos definem os classificados para a terceira fase. As regras de desempate são as mesmas da fase anterior.

Chave Equipe 1 Total Equipe 2 Data Ida Volta
C1 Athletico Paranaense Brasil 1–1 (4–2 p) Colômbia Millonarios 01/02 08/02 1–0 0–1
C2 Botafogo Brasil 3–2 Chile Colo-Colo 01/02 08/02 2–1 1–1
C3 Cerro Porteño Uruguai 2–5 Chile Unión Española 31/01 07/02 2–3 0–2
C4 Carabobo Venezuela 4–0 Colômbia Junior Barranquilla 31/01 07/02 0–1 0–3
C5 Atlético Tucumán Argentina 3–2 Equador El Nacional 31/01 07/02 2–2 1–0
C6 Montevideo Wanderers Uruguai 0–6 Bolívia The Strongest 02/02 09/02 0–2 0–4
C7 Independiente del Valle Equador 2–3 Paraguai Olimpia 02/02 09/02 1–0 1–3
C8 Deportivo Capiatá Paraguai 4–3 Perú Universitario 02/02 09/02 1–3 3–0

Terceira Fase

Em partidas de ida e volta as equipes vencedoras da segunda fase se enfrentam. Em caso de empate no placar agregado, a regra do gol fora de casa será considerada e, persistindo a igualdade, a vaga será definida na disputa por pênaltis. Os vencedores passam a fase de grupos.

Chave Equipe 1 Total Equipe 2 Data Ida Volta
G1 Athletico Paranaense Brasil 4–3 Paraguai Deportivo Capiatá 15/02 22/02 3–3 1–0
G2 Botafogo Brasil 1–1 (3–1 p) Paraguai Olimpia 15/02 22/02 1–0 0–1
G3 Unión Española Chile 1–6 Bolívia The Strongest 16/02 23/02 1–1 0–5
G4 Junior Barranquilla Colômbia 2–3 Argentina Atlético Tucumán 16/02 23/02 1–0 1–3

Fase de grupos

Os dois primeiros colocados de cada grupo avançam às oitavas de final. Os terceiros colocados se classificam para a Copa Sul-Americana de 2017.

Legenda
Equipes classificados para a fase final
Equipes transferidas para a segunda fase da Copa Sul-Americana 2017
Equipes eliminadas

Grupo 1

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Brasil Botafogo 10 6 3 1 2 6 5 +1
2 Equador Barcelona-EQU 10 6 3 1 2 8 8 0
3 Argentina Estudiantes 9 6 3 0 3 7 8 -1
4 Colômbia Atlético Nacional 6 6 2 0 4 8 8 0
  ATN EST BAR BOT
Atlético Nacional 4–1 3–1 0–2
Estudiantes 1–0 0–2 1–0
Barcelona-EQU 2–1 0–3 1–1
Botafogo 1–0 2–1 0–2

Grupo 2

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Brasil Santos 12 6 3 3 0 11 4 +7
2 Bolívia The Strongest 9 6 2 3 1 9 5 +4
3 Colômbia Santa Fe 8 6 2 2 2 8 6 +2
4 Perú Sporting Cristal 2 6 0 2 4 2 15 -13
  SAN SFE SCR STR
Santos 3–2 4–0 2–0
Santa Fe 0–0 3–0 1–1
Sporting Cristal 1–1 0–2 0–0
The Strongest 1–1 2–0 5–1

Grupo 3

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Argentina River Plate 13 6 4 1 1 14 9 +5
2 Equador Emelec 10 6 3 1 2 8 5 +3
3 Colômbia Independiente Medellín 9 6 3 0 3 8 8 0
4 Perú Melgar 3 6 1 0 5 6 14 -8
  RIV EME DIM MEL
River Plate 1–1 1–2 4–2
Emelec 1–2 1–0 3–0
Independiente Medellín 1–3 1–2 2–0
Melgar 2–3 1–0 1–2

Grupo 4

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Argentina San Lorenzo 10 6 3 1 2 8 8 0
2 Brasil Athletico Paranaense 10 6 3 1 2 9 10 -1
3 Brasil Flamengo 9 6 3 0 3 11 7 +4
4 Chile Universidad Católica 5 6 1 2 3 8 11 -3
  SLO UCA FLA ATP
San Lorenzo 2–1 2–1 0–1
Universidad Católica 1–1 1–0 2–3
Flamengo 4–0 3–1 2–1
Athletico Paranaense 0–3 2–2 2–1

Grupo 5

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Brasil Palmeiras 13 6 4 1 1 13 9 +4
2 Bolívia Jorge Wilstermann 9 6 3 0 3 12 10 +2
3 Argentina Atlético Tucumán 7 6 2 1 3 8 10 -2
4 Uruguai Peñarol 6 6 2 0 4 11 15 -4
  PEN PAL JWI TUC
Peñarol 2–3 2–0 2–1
Palmeiras 3–2 1–0 3–1
Jorge Wilstermann 6–2 3–2 2–1
Atlético Tucumán 2–1 1–1 2–1

Grupo 6

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Brasil Atlético Mineiro 13 6 4 1 1 17 6 +11
2 Argentina Godoy Cruz 11 6 3 2 1 10 8 +2
3 Paraguai Libertad 6 6 1 3 2 7 9 -2
4 Bolívia Sport Boys 2 6 0 2 4 8 19 -11
  ATM LIB GOD SBW
Atlético Mineiro 2–0 4–1 5–2
Libertad 1–0 1–2 1–1
Godoy Cruz 1–1 1–1 2–0
Sport Boys 1–5 3–3 1–3

Grupo 7

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Argentina Lanús 13 6 4 1 1 13 3 +10
2 Uruguai Nacional 8 6 2 2 2 5 3 +2
3 Brasil Chapecoense 7 6 2 1 3 6 12 -6
4 Venezuela Zulia 5 6 1 2 3 4 10 -6
  CNF CHA LAN ZUL
Nacional 3–0 0–1 0–1
Chapecoense 1–1 1–3 2–1
Lanús 0–1 3–0[a] 5–0
Zulia 0–0 1–2 1–1
Notas
  • A. ^Foi atribuída a vitória por 3–0 ao Lanús devido ao uso de jogador irregular pela Chapecoense. Originalmente a partida terminou em 2–1 para os visitantes.[2]

Grupo 8

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Brasil Grêmio 13 6 4 1 1 15 6 +9
2 Paraguai Guaraní 11 6 3 2 1 9 7 +2
3 Chile Deportes Iquique 10 6 3 1 2 12 9 +3
4 Venezuela Zamora 0 6 0 0 6 6 20 -14
  GRE GUA ZAM IQU
Grêmio 4–1 4–0 3–2
Guaraní 1–1 3–1 0–0
Zamora 0–2 1–3 1–4
Deportes Iquique 2–1 0–1 4–3

Fase final

Após a definição das equipes classificadas da fase de grupos, o sorteio que definiu o chaveamento das oitavas de final até a final foi realizado em 14 de junho no Centro de Convenções da CONMEBOL em Luque, no Paraguai.[3] Até a edição passada, os cruzamentos já eram predefinidos através da pontuação obtida na fase anterior. Agora, essa pontuação serve apenas para a definição dos mandos de campo até a final, com as equipes melhores posicionadas sempre realizando o jogo de volta como local.[4]

Equipes classificadas
Grupo Líderes de grupo Vice-líderes de grupo
1 Brasil Botafogo (7) Equador Barcelona-EQU (12)
2 Brasil Santos (6) Bolívia The Strongest (14)
3 Argentina River Plate (4) Equador Emelec (11)
4 Argentina San Lorenzo (8) Brasil Athletico Paranaense (13)
5 Brasil Palmeiras (5) Bolívia Jorge Wilstermann (15)
6 Brasil Atlético Mineiro (1) Argentina Godoy Cruz (9)
7 Argentina Lanús (2) Uruguai Nacional-URU (16)
8 Brasil Grêmio (3) Paraguai Guaraní-PAR (10)

Chaveamento

Oitavas de final Quartas de final Semifinais Final
 4 de julho a 10 de agosto  12 a 21 de setembro  24 de outubro a 2 de novembro  22 e 29 de novembro
                                                 
 Bolívia Jorge Wilstermann 1 0 1  
 Brasil Atlético-MG 0 0 0  
   Bolívia Jorge Wilstermann 3 0 3  
   Argentina River Plate 0 8 8  
 Paraguai Guaraní-PAR 0 1 1
 Argentina River Plate 2 1 3  
   Argentina River Plate 1 2 3  
   Argentina Lanús 0 4 4  
 Equador Emelec 0 1 1 (4)  
 Argentina San Lorenzo (pen) 1 0 1 (5)  
   Argentina San Lorenzo 2 0 2 (3)
   Argentina Lanús 0 2 2 (4)  
 Bolívia The Strongest 1 0 1
 Argentina Lanús 1 1 2  
   Argentina Lanús 0 1 1
   Brasil Grêmio 1 2 3
 Equador Barcelona (pen) 1 0 1 (5)  
 Brasil Palmeiras 0 1 1 (4)  
   Equador Barcelona 1 1 2
   Brasil Santos 1 0 1  
 Brasil Athletico Paranaense 2 0 2
 Brasil Santos 3 1 4  
   Equador Barcelona 0 1 1
   Brasil Grêmio 3 0 3  
 Uruguai Nacional-URU 0 0 0  
 Brasil Botafogo 1 2 3  
   Brasil Botafogo 0 0 0
   Brasil Grêmio 0 1 1  
 Argentina Godoy Cruz 0 1 1
 Brasil Grêmio 1 2 3  


Final

Copa Libertadores
Final - Jogo de ida
Grêmio Brasil 1 – 0 Argentina Lanús Arena do Grêmio, Porto Alegre-RS Brasil
22 de novembro de 2017
21:45 (UTC -2)
Cícero Gol marcado aos 82 minutos de jogo 82' Relatório
Ficha Técnica
Público: 55.188 pessoas (51.256 pagantes)
Renda: R$ 6.526.427,00
Árbitro: ChileCHI Júlio Bascuñan


Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Grêmio
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Lanús


Formação: 4-2-3-1
GL 1 Brasil Marcelo Grohe
LD 2 Brasil Edílson
ZG 3 Brasil Pedro Geromel Capitão
ZG 4 Argentina Walter Kannemann Penalizado com cartão amarelo após 40 minutos 40'
LE 12 Brasil Bruno Cortez
VL 25 Brasil Jaílson Penalizado com cartão amarelo após 43 minutos 43' Substituído após 71 minutos de jogo 71'
VL 29 Brasil Arthur
MC 17 Brasil Ramiro
MC 7 Brasil Luan
MC 21 Brasil Fernandinho Substituído após 58 minutos de jogo 58'
AT 18 Paraguai Lucas Barrios Substituído após 74 minutos de jogo 74'
Substituições:
AT 11 Brasil Everton Entrou em campo após 58 minutos 58'
MC 27 Brasil Cícero Penalizado com cartão amarelo após 74 minutos 74' Entrou em campo após 71 minutos 71'
AT 9 Brasil Jael Entrou em campo após 74 minutos 74'
Treinador:
Brasil Renato Portaluppi
Reservas:
GL 24 Brasil Paulo Victor
LD 16 Brasil Léo Moura
ZG 22 Brasil Bressan
VL 5 Brasil Michel
Formação: 4-3-3
GL 28 Argentina Esteban Andrada
LD 4 Argentina José Luis Gómez
ZG 23 Paraguai García Guerreño Penalizado com cartão amarelo após 40 minutos 40'
ZG 6 Argentina Diego Braghieri Penalizado com cartão amarelo após 90+4 minutos 90+4'
LE 3 Argentina Maxi Velázquez Capitão Penalizado com cartão amarelo após 76 minutos 76' Substituído após 79 minutos de jogo 79'
VL 30 Argentina Iván Marcone
MD 10 Argentina Román Martínez
ME 21 Argentina Nicolás Pasquini
PD 16 Uruguai Alejandro Silva
PE 7 Argentina Lautaro Acosta Penalizado com cartão amarelo após 24 minutos 24'
AT 9 Argentina José Sand
Substituições:
VL 19 Argentina Nicolás Aguirre Entrou em campo após 79 minutos 79'
Treinador:
Argentina Jorge Almirón
Reservas:
GL 1 Argentina Fernando Monetti
ZG 2 Argentina Marcelo Herrera
ZG 22 Argentina Santiago Zurbriggen
VL 24 Argentina Leandro Maciel
AT 17 Argentina Germán Denis
AT 25 Argentina Marcelino Moreno

Copa Libertadores
Final - Jogo de volta
Lanús Argentina 1 – 2 Brasil Grêmio Estádio La Fortaleza, Lanús-PBA Argentina
29 de novembro de 2017
21:45 (UTC -2)
José Sand Gol marcado aos 71 minutos de jogo 71' (pen) Relatório
Ficha Técnica
Gol marcado aos 26 minutos de jogo 26' Fernandinho
Gol marcado aos 41 minutos de jogo 41' Luan
Público: Não disponível.
Renda: Não disponível.
Árbitro: ParaguaiPAR Enrique Cáceres


Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Lanús
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Grêmio


Formação: 4-3-3
GL 28 Argentina Esteban Andrada
LD 4 Argentina José Luis Gómez
ZG 23 Paraguai García Guerreño Penalizado com cartão amarelo após 5 minutos 5'
ZG 2 Argentina Marcelo Herrera Substituído após 65 minutos de jogo 65'
LE 3 Argentina Maxi Velázquez Capitão Penalizado com cartão amarelo após 20 minutos 20' Substituído após 87 minutos de jogo 87'
VL 30 Argentina Iván Marcone
MD 10 Argentina Román Martínez
ME 21 Argentina Nicolás Pasquini
PD 16 Uruguai Alejandro Silva Penalizado com cartão amarelo após 70 minutos 70' Substituído após 77 minutos de jogo 77'
PE 7 Argentina Lautaro Acosta
AT 9 Argentina José Sand
Substituições:
AT 25 Argentina Marcelino Moreno Entrou em campo após 65 minutos 65'
MC 14 Paraguai Matías Rojas Entrou em campo após 77 minutos 77'
AT 17 Argentina Germán Denis Entrou em campo após 87 minutos 87'
Treinador:
Argentina Jorge Almirón
Reservas:
GL 1 Argentina Fernando Monetti
ZG 22 Argentina Santiago Zurbriggen
VL 24 Argentina Leandro Maciel
MC 19 Argentina Nicolás Aguirre
Formação: 4-2-3-1
GL 1 Brasil Marcelo Grohe Penalizado com cartão amarelo após 90+1 minutos 90+1'
LD 2 Brasil Edílson Penalizado com cartão amarelo após 25 minutos 25'
ZG 3 Brasil Pedro Geromel Capitão
ZG 22 Brasil Bressan Substituído após 81 minutos de jogo 81'
LE 12 Brasil Bruno Cortez Penalizado com cartão amarelo após 70 minutos 70'
VL 25 Brasil Jaílson Penalizado com cartão amarelo após 70 minutos 70'
VL 29 Brasil Arthur Substituído após 51 minutos de jogo 51'
MD 17 Brasil Ramiro Penalizado a 82 minutosExpulso a 82 minutos 82', 82'
MC 7 Brasil Luan
ME 21 Brasil Fernandinho
AT 18 Paraguai Lucas Barrios Substituído após 75 minutos de jogo 75'
Substituições:
VL 5 Brasil Michel Entrou em campo após 51 minutos 51'
MC 27 Brasil Cícero Entrou em campo após 75 minutos 75'
ZG 15 Brasil Rafael Thyere Entrou em campo após 81 minutos 81'
Treinador:
Brasil Renato Portaluppi
Reservas:
GL 24 Brasil Paulo Victor
LD 16 Brasil Léo Moura
AT 9 Brasil Jael
AT 11 Brasil Everton

Premiação

Copa Libertadores da América de 2017
Bandeira do Brasil.png Grêmio Campeão da Libertadores da América de 2017 Troféu da Copa Libertadores da América de 2017, conquistado pelo Grêmio.
Escudo Grêmio.png
Campeão
(3º título)

Gols

Copa Libertadores de 2017 - Tricampeonato
Jogo 01: Zamora 0x2 Grêmio
Jogo 02: Grêmio 3x2 Deportes Iquique
Jogo 03: Guaraní-PAR 1x1 Grêmio
Jogo 04: Grêmio 4x1 Guaraní-PAR
Jogo 05: Deportes Iquique 2x1 Grêmio
Jogo 06: Grêmio 4x0 Zamora
Jogo 07: Godoy Cruz 0x1 Grêmio
Jogo 08: Grêmio 2x1 Godoy Cruz
Jogo 10: Grêmio 1x0 Botafogo
Jogo 11: Barcelona-EQU 0x3 Grêmio
Jogo 12: Grêmio 0x1 Barcelona-EQU
Jogo 13: Grêmio 1x0 Lanús
Jogo 14: Lanús 1x2 Grêmio

Referências

  1. Grêmio divulga inscritos na Libertadores 2017 Grêmio FBPA (8 de março de 2017). Visitado em 14 de agosto de 2017.
  2. Por escalação irregular, Chape é punida pela Conmebol e está fora da Libertadores GloboEsporte.com (23 de maio de 2017). Visitado em 23 de maio de 2017.
  3. CONMEBOL LIBERTADORES BRIDGESTONE: Sorteio das Oitavas de Final CONMEBOL (14 de junho de 2017). Visitado em 14 de junho de 2017.
  4. As 16 equipes que irão pela glória continental CONMEBOL (26 de maio de 2017). Visitado em 27 de maio de 2017.