Copa do Brasil de Futebol de 1989

De Grêmiopédia, a enciclopédia do Grêmio
(Redirecionado de Copa do Brasil de 1989)
Ir para: navegação, pesquisa

I Copa do Brasil
Copa do Brasil de 1989
Bandeira do Brasil.png
Dados
Participantes 32
Organização CBF
Local de disputa Brasil Brasil
Período 19 de julho – 2 de setembro
Gol(o)s 137
Partidas 61
Média 2,25 gol(o)s por partida
Campeão Rio Grande do Sul Grêmio (1º título)
Vice-campeão Pernambuco Sport
Melhor marcador Gérson (Atlético Mineiro) (7 gols)
Maior goleada
(diferença)
Atlético Mineiro Minas Gerais 7 – 0 Rio Grande do Norte América-RN
Estádio Independência, Belo Horizonte
22 de julho
Média pessoas por partida
Soccerball.png 1990 ►►

A Copa do Brasil de Futebol de 1989 foi a primeira edição da competição. A disputa ocorreu de 19 de julho a 2 de setembro.

O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense foi o campeão batendo o Sport Recife nas finais por 2x1. Com o título, o clube classificou-se automaticamente para a Copa Libertadores da América de 1990 e para a Supercopa do Brasil.


Troféu da Copa do Brasil de 1989, conquistado pelo Grêmio.

A Copa

Com a criação da Copa União em 1987, vários clubes de regiões menos populares que entravam no Campeonato Brasileiro por ser campeão estadual, deixaram de enfrentar os chamados "grandes" e com isso algumas agremiações corriam o risco até de fechar as portas. A solução foi criar uma "Copa" nos moldes dos Europeus.

Em 1989, a CBF cria a chamada Copa do Brasil, que permitia a entrada de clubes de todos os estados. Inicialmente todos os campeões estaduais e mais os vices de alguns estados com melhor representação nacional, jogavam partidas de forma eliminatórios. O campeão do torneio garantia vaga à Copa Libertadores da América e para a Supercopa do Brasil.

A conquista

Mazaropi com a Taça
José Ernesto/CP Memória

A campanha Tricolor foi irretocável. O título veio de forma invicta. Em dez partidas, foram oito vitórias e dois empates, com 26 gols marcados e apenas quatro sofridos. A estreia ocorreu no dia 19 de julho. Em Vitória, no Espírito Santo, o Grêmio fez 1 a 0 no Ibiraçu. Três dias depois, no Olímpico, goleada por 6 a 0 e vaga garantida na segunda fase. O próximo adversário também não era de tradição. O time treinado por Cláudio Duarte iria encarar o Mixto-MT. Em Cuiabá, outra goleada, dessa vez por 5 a 0. A partida de volta nem aconteceu. O adversário abriu mão de jogar e o Grêmio acabou vencendo por W.O..

A partir das quartas de final os rivais passaram a ser mais fortes. Depois de encarar equipes sem muita expressão, o Grêmio iria duelar com o Bahia, que no ano anterior havia se sagrado campeão brasileiro em cima do Internacional. Na Fonte Nova, em Salvador. Fez 2 a 0 e trouxe um resultado altamente favorável. No Olímpico, apenas administrou, bateu os baianos por 1 a 0 e confirmou vaga em uma das semifinais. Era a vez de encontrar o Flamengo no duelo considerado mais complicado até então.

O jogo de ida deu a entender que a classificação seria decidida no detalhe. No dia 16 de agosto, as duas equipes empataram em 2 a 2 no Maracanã. O Flamengo começou arrasador. Logo aos 3 minutos, Edinho falhou, Sérgio Araújo escapou pela direita, tabelou com Nando e fez 1 a 0. Apenas seis minutos depois, o rubro-negro carioca ampliou. Leonardo foi à linha de fundo e cruzou para Nando fazer o segundo. O Fla ainda acertou uma bola na trave antes do Grêmio iniciar a reação. Aos 41, Paulo Egídio recebeu de Lino e desviou do goleiro Cantarelli. O Tricolor descontava ainda na primeira etapa da partida. O empate veio aos 10 minutos do segundo tempo. Paulo Egídio cobrou escanteio, a bola atravessou a área e sobrou para Luís Eduardo deixar tudo igual no Maracanã.

Edinho com a Taça
Valdir Friolin/Agencia RBS

O Grêmio poderia empatar em 0 a 0 ou 1 a 1 o jogo de volta, dia 19 de agosto, no Olímpico. Mas o que se viu foi um massacre gremista. O time de Cláudio Duarte fez sua melhor apresentação no torneio, goleou por 6 a 1 e chegou à decisão com folga. Cuca, hoje técnico, foi quem abriu o placar após jogada de Assis. Se nos 45 minutos iniciais o Grêmio economizou nos gols, na etapa final a torcida cansou de comemorar. O segundo gol foi de Paulo Egídio, de cabeça, após mais uma jogada de Assis. Almir, Cuca, Paulo Egídio e Assis marcaram os outros gols.

A final foi disputada diante do Sport Recife, que eliminou o Goiás na semifinal. Com melhor campanha, o Grêmio decidiria no Olímpico. O confronto inicial aconteceu no dia 26 de agosto, em Recife. O empate em 0 a 0 era perigoso. O saldo qualificado dava ao Sport a vantagem de empatar com gols no jogo de volta para ficar com o título. Mais de 60 mil torcedores foram ao Olímpico no dia 2 de setembro. E o Grêmio não decepcionou. Logo aos 8 minutos de jogo, Cuca puxou um contra-ataque e abriu para Nando na esquerda. Ele cruzou na área, a zaga não conseguiu afastar e Assis pegou o rebote para fazer 1 a 0. Aos 31, Aílton cobrou escanteio, Mazaropi tentou cortar e acabou empurrando a bola para dentro do gol: 1 a 1. Mesmo com a falha, o goleiro teve o nome gritado pela torcida. O gol do título foi marcado no segundo tempo. Aos 6 minutos, Luís Eduardo cruzou na área, a bola passou por Lino e encontrou Cuca, que de perna esquerda venceu o goleiro Rafael e decretou a vitória por 2 a 1. Festa da torcida no Olímpico e taça inédita para o Grêmio. [1]

Participantes

A primeira edição da Copa do Brasil teve 32 participantes:

Estado Equipe Como se classificou
Alagoas Alagoas CSA Campeão do Estadual de 1988
Amazonas Amazonas Rio Negro Campeão do Estadual de 1988
Bahia Bahia Bahia Campeão do Estadual de 1988
Vitória Vice-campeão do Estadual de 1988
Ceará Ceará Ferroviário Campeão do Estadual de 1988
Fortaleza Vice-campeão do Estadual de 1988
Distrito Federal Distrito Federal Tiradentes Campeão do Metropolitano de 1988
Espírito Santo Espírito Santo Ibiraçu Campeão do Estadual de 1988
Goiás Goiás Atlético Goianiense Campeão do Estadual de 1988
Goiás Vice-campeão do Estadual de 1988
Maranhão Maranhão Sampaio Corrêa Campeão do Estadual de 1988
Mato Grosso Mato Grosso Mixto Campeão do Estadual de 1988
Mato Grosso do Sul Mato Grosso do Sul Operário-MS Campeão do Estadual de 1988
Minas Gerais Minas Gerais Atlético Mineiro Campeão do Estadual de 1988
Cruzeiro Vice-campeão do Estadual de 1988
Pará Pará Paysandu Campeão do Estadual de 1988
Paraíba Paraíba Botafogo-PB Campeão do Estadual de 1988
Paraná Paraná Athletico Paranaense Campeão do Estadual de 1988
Pinheiros Vice-campeão do Estadual de 1988
Pernambuco Pernambuco Sport Campeão do Campeonato Pernambucano Estadual de 1988
Náutico Vice-campeão do Estadual de 1988
Piauí Piauí Flamengo-PI Campeão do Estadual de 1988
Rio de Janeiro Rio de Janeiro Vasco Campeão do Estadual de 1988
Flamengo Vice-campeão do Estadual de 1988
Rio Grande do Norte Rio Grande do Norte América-RN Campeão do Estadual de 1988
Rio Grande do Sul Rio Grande do Sul Grêmio Campeão do Estadual de 1988
Internacional Vice-campeão do Estadual de 1988
São Paulo São Paulo Corinthians Campeão do Estadual de 1988
Guarani Vice-campeão do Estadual de 1988
Santa Catarina Santa Catarina Avaí Campeão do Estadual de 1988
Blumenau Vice-campeão do Estadual de 1988
Sergipe Sergipe Confiança Campeão do Estadual de 1988

Regulamento

Os 32 participantes foram divididos em chaveamento de eliminatórias simples, com dezesseis grupos de dois times cada, enfrentando-se em jogos de ida e volta. Os mandos das partidas de volta na primeira fase foram dos campeões das federações que obtiveram maior renda bruta ao longo dos respectivos torneios de 1988 — no caso dos campeões que enfrentaram vices, o mando do segundo jogo foi do campeão.

Nas fases seguintes, os campeões manteriam a vantagem quando enfrentassem vice-campeões. Caso dois campeões ou dois vices se enfrentassem, o mando do jogo de volta seria do time com melhores números nas fases anteriores, seguindo a seguinte ordem: vitórias, saldo de gols e gols marcados. Em caso de empate em todos os critérios, o mando seria decidido por sorteio.

Os critérios de desempate em cada fase, nos casos de igualdade de pontos, referiam-se apenas aos dois jogos em questão e resumiam-se a saldo de gols e gols marcados como visitante (o chamado gol qualificado). Em caso de empate, a vaga à fase seguinte seria decidida em cobranças de pênaltis.

Foi também definido que o time que conquistasse o torneio por três vezes consecutivas ou cinco alternadas teria a posse definitiva do troféu.

Tabela

A tabela abaixo foi adaptada para mostrar sempre embaixo o time que fez o segundo jogo em casa.

Primeira fase Oitavas de final Quartas de final Semifinais Finais
 
 Rio Grande do Sul Internacional 0 2
 Alagoas CSA 0 0
 Rio Grande do Sul Internacional 0 0
 Goiás Goiás 0 4
 Goiás Goiás 1 3
 Ceará Ferroviário 0 1
 Goiás Goiás 3 0
 Minas Gerais Atlético Mineiro 0 2
 Pernambuco Náutico 1 0
 Paraná Athletico Paranaense 0 0
 Pernambuco Náutico 1 0
 Minas Gerais Atlético Mineiro 1 3
 Rio Grande do Norte América de Natal 0 0
 Minas Gerais Atlético Mineiro 3 7
 Goiás Goiás 2 0
 Pernambuco Sport 1 1
 Bahia Vitória 2 0
 Santa Catarina Avaí 0 1
 Bahia Vitória 0 2
 Rio de Janeiro Vasco 0 1
 Amazonas Rio Negro 1 1
 Rio de Janeiro Vasco 1 2
 Bahia Vitória 1 0
 Pernambuco Sport 0 2
 São Paulo Guarani 3 1
 Piauí Flamengo-PI 1 1
 São Paulo Guarani 1 0
 Pernambuco Sport 1 1
 Ceará Fortaleza 0 0
 Pernambuco Sport 0 1
 Pernambuco Sport 0 1
 Rio Grande do Sul Grêmio 0 2
 Santa Catarina Blumenau 1 1
 Mato Grosso do Sul Operário-MS 1 0
 Santa Catarina Blumenau 1 1
 Rio de Janeiro Flamengo 3 3
 Rio de Janeiro Flamengo 2 2
 Pará Paysandu 0 1
 Rio de Janeiro Flamengo 2 2
 São Paulo Corinthians 0 4
 Maranhão Sampaio Corrêa 3 0
 São Paulo Corinthians 2 1
 São Paulo Corinthians 5 0
 Distrito Federal Tiradentes 0 1
 Distrito Federal Tiradentes 1 0
 Goiás Atlético Goianiense 0 0
 Rio de Janeiro Flamengo 2 1
 Rio Grande do Sul Grêmio 2 6
 Minas Gerais Cruzeiro 0 1
 Paraíba Botafogo-PB 0 1
 Minas Gerais Cruzeiro 1 0
 Bahia Bahia 0 2
 Sergipe Confiança 0 0
 Bahia Bahia 1 1
 Bahia Bahia 0 0
 Rio Grande do Sul Grêmio 1 2
 Paraná Pinheiros 0 1
 Mato Grosso Mixto 1 2
 Mato Grosso Mixto 0  
 Rio Grande do Sul Grêmio 5 [2]
 Espírito Santo Ibiraçu 0 0
 Rio Grande do Sul Grêmio 1 6

Finais

Copa do Brasil Sport Pernambuco 0 - 0 Rio Grande do Sul Grêmio Estádio Ilha do Retiro, Recife-PE, BRA
Final - Jogo de ida
26 de agosto de 1989
16:00 (UTC-3)
Relatório
Público: 36.117 (pagantes)
Renda: NCz$ 197.932,00
Árbitro: BrasilBRA José de Assis Aragão



                     Cores do Sport Cores do Sport Cores do Sport                     
Cores do Sport
Cores do Sport
Sport
 
 
GL   -    Brasil  Rafel
LD   -    Brasil  Betão
ZG   -    Brasil  Márcio Alcântara
ZG   -    Brasil  Aílton
LE   -    Brasil  Aírton
VL   -    Brasil  Rogério
VL   -    Brasil  Lopes
MC   -    Brasil  Joécio Substituído após int minutos de jogo int'
AT   -    Brasil  Barbosa
AT   -    Brasil  Marcus Vinícius Substituído após 60 minutos de jogo 60'
AT   -    Brasil  Édson
Treinador:
Brasil  Nereu Pinheiro
Substituições:
JG   -    Brasil  André Entrou em campo após int minutos int'
JG   -    Brasil  Ismael Entrou em campo após 60 minutos 60'
Cores do Grêmio Cores do Grêmio Cores do Grêmio
Cores do Grêmio
Cores do Grêmio
Grêmio
 
 
GL   1    Brasil Mazarópi
LD   2    Brasil Alfinete
ZG   3    Brasil Edinho Capitão Penalizado com cartão amarelo após ? minutos
ZG   6    Brasil Luís Eduardo
LE   4    Brasil Hélcio
VL   5    Brasil André
VL   10    Brasil Lino
MC   8    Brasil Cuca
MC   7    Brasil Assis Substituído após 77 minutos de jogo 77'
AT   9    Brasil Nando Substituído após 78 minutos de jogo 78'
AT   11    Brasil Paulo Egídio
Treinador:
Brasil Cláudio Duarte
Substituições:
AT   16    Brasil Almir Entrou em campo após 77 minutos 77'
MC   15    Brasil Darci Entrou em campo após 78 minutos 78'

Copa do Brasil Grêmio Rio Grande do Sul 2 - 1 Pernambuco Sport Estádio Olímpico, Porto Alegre-RS, BRA
Final - Jogo de volta
02 de setembro de 1989
16:00 (UTC-3)
Assis Gol marcado aos 9 minutos de jogo 9'
Cuca Gol marcado aos 51 minutos de jogo 51'
Relatório
Gol contra marcado aos 31 minutos de jogo 31' (g.c.) Mazarópi Público: 62.807 (pagantes)
Renda: NCz$ 548.096,00
Árbitro: BrasilBRA José de Assis Aragão



Cores do Grêmio Cores do Grêmio Cores do Grêmio
Cores do Grêmio
Cores do Grêmio
Grêmio
 
 
GL   1    Brasil Mazarópi
LD   2    Brasil Alfinete Substituído após 73 minutos de jogo 73'
ZG   3    Brasil Edinho Capitão
ZG   6    Brasil Luís Eduardo
LE   4    Brasil Hélcio
VL   5    Brasil Jandir
VL   10    Brasil Lino Penalizado com cartão amarelo após ? minutos
MC   8    Brasil Cuca
MC   7    Brasil Assis Penalizado com cartão amarelo após ? minutos
AT   9    Brasil Nando Substituído após 80 minutos de jogo 80'
AT   11    Brasil Paulo Egídio
Treinador:
Brasil Cláudio Duarte
Substituições:
ZG   13    Uruguai Trasante Entrou em campo após 73 minutos 73'
AT   15    Brasil Almir Entrou em campo após 80 minutos 80'
                     Cores do Sport Cores do Sport Cores do Sport                     
Cores do Sport
Cores do Sport
Sport
 
 
GL   -    Brasil  Rafael
LD   -    Brasil  Betão Expulso a 90+1 minutos 90+1'
ZG   -    Brasil  Márcio Alcântara
ZG   -    Brasil  Aílton
LE   -    Brasil  Aírton Penalizado com cartão amarelo após ? minutos
MC   -    Brasil  Rogério Substituído após int1 minutos de jogo int1'
MC   -    Brasil  Lopes Substituído após int2 minutos de jogo int2'
MC   -    Brasil  Joécio
MC   -    Brasil  Marcus Vinícius
AT   -    Brasil  Barbosa
AT   -    Brasil  Édson
Treinador:
Brasil  Nereu Pinheiro
Substituições:
JG   -    Brasil  André Entrou em campo após int1 minutos int1'
JG   -    Brasil  Edinho Entrou em campo após int2 minutos int2'

Premiação

Copa do Brasil de 1989
Rio Grande do Sul Grêmio Campeão da Copa do Brasil de 1989 Troféu da Copa do Brasil de 1989, conquistado pelo Grêmio.
Escudo Grêmio.png
Campeão
(1º título)

Gols em Vídeo

Estatísticas

Ligações externas

Referências

  1. Em 1989, Grêmio conquistava a primeira Copa do Brasil
  2. O Grêmio venceu a partida de volta por W.O.