Adalberto Preis

De Grêmiopédia, a enciclopédia do Grêmio
Ir para navegação Ir para pesquisar

Adalberto Preis
Adalberto Preis.jpg
Foto: Guilherme Testa / CP Memória


Informações pessoais
Nome completo Adalberto Preis
Apelido Adalberto Preis
Data de nasc. 06 de novembro de 1943 (79 anos)
Local de nasc. Criciúma-RS, Brasil
Nacionalidade Brasil
Informações profissionais
Função Vice-presidente de Administração
Como dirigente do Grêmio
Anos Cargo
1975 Diretor Jurídico
1982 Vice-presidente de Administração
1983 Vice-presidente para Assuntos Especiais
1985-1986 Vice-presidente de Futebol
1998 Vice-presidente de Futebol
2003-2004 Vice-presidente de Planejamento Estratégico
2004-2007 Vice-presidente do Conselho Deliberativo
2013-2022 Vice-presidente de Administração
2016 Vice-presidente de Futebol

Adalberto Preis, também conhecido como Adalberto Preis (Criciúma-RS, Brasil, 06 de novembro de 1943).

Icone Livro.png História

Adalberto Preis, é um advogado com pós-graduação em Advocacia Empresarial, professor de contratos, especializado em Direito da Construção, Sistema Financeiro e Direitos Reais, e atualmente vice-presidente eleito para o triênio 2020-2022 do Conselho de Administração do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. Foi ainda vice-presidente de futebol em quatro ocasiões: em 1985, 1986, 1998 e 2016. Além das suas realizações no Grêmio e no Direito, Adalberto Preis viveu ainda a experiência de repórter, redator de telejornal e editor internacional da hoje RBSTV, além de lecionar como professor de Deontologia e de Legislação da Comunicação Social na FAMECOS/PUCRS.

Uma vida no Grêmio

Nascido em Criciúma, oriundo de uma família de descendentes de alemães, Adalberto Preis viveu a sua adolescência no Estado de São Paulo, onde começou a simpatizar com o Grêmio, apesar da distância que os separavam. Após o colegial, acabou indo morar em Porto Alegre com seus pais, que começaram a lhe levar aos jogos do Tricolor gaúcho com certa frequência. Sua primeira ligação associativa com o Grêmio se deu em 1962, quando seu pai lhe comprou um título patrimonial do clube. Formado em Direito (1967), trabalhava na antiga TV Gaúcha quando foi convidado para integrar o departamento jurídico do Grêmio como diretor, tornando-se conselheiro em 1974.

1982 – 1983

Convidado pelo então presidente Fábio Koff, assumiu como vice-presidente de Administração no ano em que o Grêmio foi vice campeão brasileiro e conquistou vaga para a Copa Libertadores da América de 1983. No ano em que o Grêmio atingiu o ápice em sua vida desportiva, sendo campeão da Copa Libertadores da América e do Mundial de Clubes, Adalberto Preis era vice-presidente para Assuntos Especiais do clube.

1985 – 1986

Durante o período de dois anos, foi pela primeira vez vice-presidente de futebol, atingindo dois títulos gaúchos e diversas vitórias de expressão e títulos internacionais em excursões pela Europa, África, América do Sul e Central. Além disso, foi responsável pela contratação de alguns jogadores de destaque, como a volta do goleiro Mazarópi, campeão mundial pelo Grêmio que havia deixado o clube no final de 1983, e a aquisição do meia argentino Sabella, oriundo do Estudiantes. Nesse período, destacam-se também o bom relacionamento com o histórico treinador Rubens Minelli, além da contratação de Valdir Espinosa em 1986, cargo que o treinador voltaria a ocupar após ser campeão da Libertadores e do Mundial em 1983.

Excursões pela América do Sul e Central

Com as conquistas do Mundial Interclubes e da Copa Libertadores da América em 1983, o Grêmio alcançou significativo prestígio e passou a ser convidado regularmente para torneios e amistosos ao redor do mundo. Em 1985, como vice-presidente de futebol, Adalberto Preis comandou o clube em diversos jogos amistosos, como os contra a Seleção Peruana, em Lima, além de vitórias do Grêmio contra a Seleção Boliviana em Santa Cruz de La Sierra e a Seleção Hondurenha em San Pedro Sula, Honduras. Ambas as seleções de Peru e Bolívia enfrentaram a Seleção Brasileira no mesmo ano, inclusive.

Excursões pela Europa e África

Também em 1985, o Grêmio foi convidado para alguns torneios de expressão pelo Velho Continente. No Torneio de Roterdã, na Holanda, o clube gaúcho venceu o Feyenoord no estádio do rival se classificando para a final contra o Bayern de Munique do atacante Rummenigge. Na partida decisiva, o Grêmio de Renato Portaluppi, Valdo e Rubens Minelli aplicou um 2 a 1 na equipe alemã para ficar com o título. Ainda no mesma excursão, o Tricolor conquistou o Troféu Palma de Mallorca, onde enfrentaria o Sporting Gijón na semifinal e depois o Barcelona, então vice-campeão da Liga dos Campeões da Europa, na final. Com grande público no Estádio Lluís Sitjar, Grêmio e Barcelona se enfrentaram em uma partida com superioridade técnica do Grêmio, que garantiu a vitória por 1x0 e o título na primeira etapa. Já em agosto de 1986, o Grêmio foi convidado para participar da prestigiosa Copa Philips em Eindhoven, Holanda, onde conquistou o título batendo o Anderlecht na semifinal e o Borussia Mönchengladbach na finalíssima. Além disso, no mesmo mês, uma vitória histórica, o Grêmio bateu por 2 a 0 o Ajax treinado por Johan Cruijff na semifinal do Torneio de Casablanca, no Marrocos. Com Van Basten e Rijkaard em campo, o time holandês não foi páreo para a equipe do treinador Valdir Espinosa.

1996 – 1998

Conselheiro Fiscal desde 1996, assumiu como vice-presidente de futebol de agosto a dezembro de 1998, quando o clube se encontrava em uma péssima colocação no Campeonato Brasileiro daquele ano. Convocado pelo presidente Cacalo, imprimiu um comando forte no vestiário ao elenco comandado pelo técnico Celso Roth. Lanterna até a 12ª rodada, o Grêmio acabou em oitavo e garantiu vaga ao mata-mata final, perdendo para o Corinthians nas quartas da competição.

2003 – 2007

Foi vice-presidente de planejamento estratégico no biênio 2003-2004. Nesse período conduziu a elaboração do primeiro Plano Estratégico do clube, aprovado tempos depois pelo Conselho Deliberativo e incluído no estatuto. No final dessa gestão o clube terminou na lanterna do Campeonato Brasileiro, em grave crise financeira e rebaixado pela segunda vez na história.

Em outubro de 2004 foi eleito para a vice-presidência do Conselho Deliberativo do Grêmio para gestão 2004-2007, renunciando à vice-presidência na diretoria e ingressando, após, no Conselho Consultivo do clube.

No final de 2004, foi candidato à presidência, tendo tido a maioria no Conselho Deliberativo, sendo, entretanto, superado na votação direta no quadro social na primeira vez na qual foi utilizada essa modalidade em segundo turno.

Em 2005, quando da contratação pelo Grêmio da Consultoria de RH - IAB e do Consultor Claus Süffer para implementar no clube o Programa de Qualidade Total e Planejamento Estratégico, aprovado pelo Conselho Deliberativo em novembro de 2004, ficou registrado em ata de sessão ordinária do Conselho Deliberativo pelo então presidente Paulo Odone a importância fundamental do Plano Estratégico idealizado por Adalberto Preis.

2009 – 2010

Em janeiro de 2009, foi escolhido como presidente da Grêmio Empreendimentos, empresa que atuou em conjunto com a OAS em questões relativas à construção da Arena do Grêmio, novo estádio do clube que sucedeu o Olímpico Monumental. Sob o seu comando, foram aprovados diversos projetos, além do lançamento em 2010 da Pedra Fundamental para o início das obras da nova casa gremista, em solenidade que reuniu cerca de 10 mil torcedores no terreno onde hoje está localizado o estádio.

2013 – 2019

Foi eleito como vice-presidente do Conselho de Administração, formado também por Nestor Hein, Odorico Roman, Marcos Hermann, Renato Moreira e Romildo Bolzan Júnior, da última gestão do presidente Fábio Koff, que durou até 2014.

Em outubro de 2014, na primeira eleição de Romildo Bolzan Júnior como presidente do Grêmio, integrou o Conselho de Administração eleito como vice-presidente junto de Marcos Hermann, Nestor Hein, Odorico Roman, Sergei Costa e Claudio Oderich, visando o biênio 2015-2016.

Em setembro de 2016, ainda eleito como vice-presidente do Conselho de Administração, assumiu também o cargo de vice-presidente de futebol, onde o Grêmio conquistou o pentacampeonato da Copa do Brasil, após 15 anos de jejum de títulos relevantes. Junto com os diretores de futebol Odorico Roman e Saul Berdichevsky, sua principal providência foi a contratação do treinador Renato Portaluppi, após a saída de Roger Machado, e do então coordenador Valdir Espinosa, reeditando a dupla vencedora da Copa Libertadores e do Mundial de 1983.

Após a conquista da Copa do Brasil, Adalberto Preis acabou deixando o cargo de vice-presidente de futebol por questões pessoais, permanecendo no Conselho de Administração do clube. Em novembro, compôs a chapa do presidente reeleito Romildo Bolzan Júnior. Para o triênio 2017-2019, o Conselho de Administração do Grêmio contou com seis vice-presidentes: Adalberto Preis, Sergei Costa, Claudio Oderich, Marcos Herrmann, Duda Kroeff e Paulo Luz. Nesse período o clube conquistou o tricampeonato da Libertadores e o bicampeonato da Recopa Sul-Americana, além de voltar a vencer o Campeonato Gaúcho depois de oito anos de jejum regional.

2019 – 2022

Em outubro, compôs novamente o Conselho de Administração na reeleição por aclamação do presidente Romildo Bolzan Júnior, visando o triênio 2020-2022. Nessa gestão o Grêmio continuou com a hegemonia estadual, sendo pentacampeão gaúcho, no entanto, a péssima campanha no Campeonato Brasileiro de 2021, culminou no terceiro rebaixamento, voltando à segunda divisão.








Banco de dados.png

Referências