João Nílson Peters

De Grêmiopédia, a enciclopédia do Grêmio
Ir para: navegação, pesquisa

Nílson
Nílson

João Nílson Peters

Informações pessoais
Nome completo João Nílson Peters
Data de nasc. 21 de julho de 1933
Local de nasc. São Sebastião do Caí-RS, BRA
Nacionalidade Brasil
Falecido em 06 de dezembro de 2017 (84 anos)
Local do falec. Porto Alegre-RS, BRA
Informações profissionais
Função Zagueiro
Registro CBF 016112
Como jogador do Grêmio
Jogos Gols Média
7 0 0
  • A estatística pode estar incompleta.
Clubes profissionais
Anos Clubes
1955 Brasil Esperança
1956-1957 Brasil Grêmio
1957-1963 Brasil Juventude
1963 Brasil Novo Hamburgo
1964 Brasil Grêmio Santanense

João Nílson Peters, também conhecido como Nílson (São Sebastião do Caí-RS, BRA, 21 de julho de 1933 - Porto Alegre-RS, BRA, 06 de dezembro de 2017).

Banco de dadosEstatística como jogador do Grêmio

GRÊMIO Jogos Vitórias Empates Derrotas Gols pró Gols contra Saldo de gols Aproveitamento
Mandante
1
0
1
0
2
2
0
%
Visitante
6
4
1
1
17
6
11
72.2%
Total
7
4
2
1
19
8
11
66.7%

A estatística está em processo de contagem no Banco de Dados, e pode sofrer alterações. Quando estiver completa, esta mensagem será suprimida.


Icone Livro.png História

João Nilson Peters tinha dois irmãos, José Milton, o Brotinho, e Paulo Ildon, o Mugica, que, assim como ele, se tornaram profissionais do futebol. Os três brilharam no time do Rio Branco despertando a atenção dos olheiros da época.

Nilson nasceu em 21 de julho de 1933 e era ótimo lateral, atuando tanto pela direita como pela esquerda.

No Caí, além do time do seu bairro, ele jogou pelo Riachuelo. Em 1955, foi contratado pelo Esperança, de Hamburgo Velho, onde destacou-se tanto que, no ano seguinte, estava no Grêmio e foi campeão gaúcho. Para o Esperança, foi uma grande perda, pelo que se pode deduzir da goleada espetacular sofrida pelo time hamburguense em agosto de 1955, depois da sua ida para o Grêmio.

Numa excursão do Grêmio ao Paraná, ele teve participação destacada, que lhe garantiu a titularidade naquele time de grandes craques.

No ano seguinte, passou a jogar no Juventude, de Caxias do Sul e lá ficou até 1963, quando transferiu-se para o Floriano (o atual Novo Hamburgo).

Ainda nesse time, ele jogou contra a Seleção Uruguaia, a famosa Celeste Olímpica, em jogo disputado no Uruguai. O jogo foi preparatório para a participação uruguaia na Copa do Mundo de 1966.

Em 1964, com 31 anos, ele encerrou a sua carreira profissional jogando pelo Grêmio Santanense, de Sant'Ana do Livramento.

Depois de encerrar a sua carreira profissional, Nilson passou a trabalhar no setor administrativo da empresa Zivi-Hercules, em Porto Alegre.

Nilson era filho de Acylo Peters, que foi bom jogador de futebol e presidente do Esporte Clube Rio Branco. O clube o homenageou dando o nome de Eduardo Acylo Peters ao seu estádio.[1]

Nilson faleceu no dia 6 de dezembro de 2017 e sua cinzas foram espalhadas no campo do Esporte Clube Rio Branco e São Sebastião do Caí.[2]


Banco de dadosPartidas como jogador do Grêmio

Estreia
Grêmio 2 x 2 Renner - 22/04/1956
Último Jogo
Veronese 0 x 2 Grêmio - 17/02/1957


Banco de dados.png

Referências